Candidatos a deputados estaduais e senadores não inovam em primeiro programa de TV

Muita música, destaque para os números e pouca inovação marcaram o primeiro dia de programa eleitoral para a televisão dos candidatos a deputados estaduais e senadores de Mato Grosso do Sul nesta quarta-feira (20). Os candidatos a deputados seguiram a tradição e aparecem ou em um cenário com fundo do partido ou com cenário próprio […]
| 20/08/2014
- 20:15
Candidatos a deputados estaduais e senadores não inovam em primeiro programa de TV

Muita música, destaque para os números e pouca inovação marcaram o primeiro dia de programa eleitoral para a televisão dos candidatos a deputados estaduais e senadores de Mato Grosso do Sul nesta quarta-feira (20).

Os candidatos a deputados seguiram a tradição e aparecem ou em um cenário com fundo do partido ou com cenário próprio falando das suas propostas sobre o legislativo em todas as coligações.

Os candidatos do PP, no entanto, não aparecem falando das suas propostas, mas sim Alcides Bernal, candidato ao Senado. Ele usa o espaço dos deputados da coligação para falar dos candidatos, um a um, enquanto a foto deles e número aparecem na parte inferior do vídeo.

Entre os candidatos ao Senado, também pouca inovação. O candidato do PT, Ricardo Ayache, fala de propostas, mostra um vídeo contando da sua origem e até o ex-presidente Lula aparece, durante a convenção do partido, falando dele.

Outro que conta um pouco da história é o candidato Antônio João (PSD), que destaca o jornal onde trabalha e sua origem, além de também aparecer falando pouco e em um vídeo com a sua música de campanha.

Simone Tebet (PMDB) usou o espaço somente para mostrar seu clipe musical de campanha, que mostra imagens dela ao lado do governador André Puccinelli (PMDB) e da população em diversos locais do Estado.

Lucien Rezende (PSOL) e Valdemir do PSTU aparecem como os deputados estaduais, falando de suas propostas com imagens do partido ao fundo.

Alcides Bernal (PP) fala que mudou Campo Grande enquanto prefeito, que foi tirado do cargo e que conta com a população para ser eleito senador. Ao fim, um trecho da música de campanha é tocado.

Últimas notícias