A jovem Giovanna Nantes, 19 anos, que teria sido agredida pelo namorado Matheus Georges Zadra Tannous, 19 anos, na virada do ano, viajou nesta terça-feira (21), para Londrina (PR). Após 21 dias da suposta agressão, e 13 dias após a justiça decretar a prisão preventiva de Matheus, ele segue foragido.

Segundo Luiz Carlos de Oliveira, pai de Giovanna, ela permanecerá com a mãe no Paraná com a mãe até o momento em que for liberada pela psicóloga para prestar depoimento à polícia. “Ela emagreceu, está pesando 40 quilos, se alimentando por liquido e falando com dificuldade”, diz.

Luiz Carlos comenta que agradece ao Ministério Público por pedido a prisão preventiva de Matheus, mas se diz desapontado pelo suspeito não ter sido preso em flagrante no dia em teria acontecido agressão. “Estou muito revoltado, indignado, pois ele [Matheus] não foi preso em fragrante por agressão. Ele foi liberado, sendo que as lesões que ela apresentava não eram compatíveis com um tombo. Será que é porque ele é filho de médico?”, questiona.

O pai reafirma que não acredita na inocência de Matheus. “São marcas de agressão. De forma alguma, uma leva que leva um tombo pode ter esses hematomas”. Oliveira ainda comenta que as marcas que Giovanna tem no rosto, aparentemente são similares ao salto da sandália que ela estaria usando no dia, e que teria sumido do apartamento. A jovem continua se lembrar das agressões. “Cheguei à conclusão que ela levou uma pancada, desmaiou, e ele continuou batendo nela”, diz Luiz Carlos.

Agressão – o caso veio a tona no dia 3 de janeiro deste ano. A jovem teria sido agredida Matheus, durante a virada de ano em um apartamento no bairro São Franscisco em Campo Grande. No dia 8, o ele teve o mandado de prisão preventiva expedido pela juíza da 1ª Vara da Violência Doméstica e Familiar contra Mulher de Campo Grande, Simone Nakamatsu, mas segue foragido.