Os servidores técnicos administrativos da UFMS realizam nesta sexta (12) Assembléia Extraordinária às 8 horas na Capital para deliberarem o indicativo nacional de greve e definir a data de deflagração do movimento. Confirmado o início do movimento na UFMS o quadro geral de greve totalizará 48 Instituições Federais de Ensino das 53 existentes no País. Na região Centro Oeste apenas a UFMS não estava participando da greve até o momento.

Movimento Grevista na UFGD

Na UFGD, os grevistas realizam concentrações e Assembléias na Universidade e no Hospital Universitário, e a partir da próxima semana intensificará atividades de esclarecimento à população e manifestações na cidade de Dourados.

Notificação Judicial

A FASUBRA emitiu nota no site da Entidade informando que acata a Decisão do STJ – Superior Tribunal de Justiça, e até que haja novo pronunciamento judicial a liminar de retorno de 50% dos servidores às atividades deve ser cumprida pelos Sindicatos da base da Federação.

Em Nível Nacional

Os técnicos das Universidades Federais em greve consideraram positivas as ações de acampamento e marcha na Esplanada dos Ministérios em Brasília. Durante esses últimos três dias os grevistas reuniram 1.300 caravaneiros com o objetivo de pressionar o governo a atender as reivindicações da Campanha Salarial.

A passeata, com os grevistas ocupou duas faixas de rolamento do Eixo Monumental, no trecho compreendido entre o Palácio da Justiça e Ministério do Planejamento, onde a categoria voltou a fazer uso de faixas, cartazes, tambores e cornetas para chamar atenção para as reivindicações.

Centrais sindicais estavam representadas na passeata para manifestar solidariedade ao empenho dos técnico-administrativos, e apoio à luta por valorização salarial. Entre elas a CTB, CUT, Intersindical e Conlutas.

Enquanto os manifestantes ocupavam as vias da Esplanada, estava sendo realizada no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), uma reunião da Central Única dos Trabalhadores (CUT) com a Ministra Míriam Belchior, onde segundo os membros da CUT foi cobrada a reabertura imediata das negociações, e que ao final da reunião a ministra disse que irá se reunir com a equipe ministerial para analisar as reivindicações no sentido de retomar as negociações.

Em Brasília permanecerão apenas os delegados do Comando Nacional de Greve que representam a base dos sindicatos filiados à Federação, e membros da Diretoria Nacional da FASUBRA, que juntos levarão adiante as futuras ações da greve.