Rebeldes líbios disseram nesta segunda-feira (15) que conquistaram uma cidade estratégica próxima a Trípoli, a segunda em menos de 24 horas, e que agora cercam a capital, no seu maior avanço em seis meses de guerra contra o regime de Muammar Kadhafi.

Num discurso quase inaudível por telefone, transmitido durante a madrugada pela TV estatal, Kadhafi conclamou seus seguidores a enfrentarem a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e os rebeldes, que ele chamou de ‘ratos.’

As forças de Kadhafi atiraram morteiros e foguetes contra a cidade litorânea de Zawiyah, um dia depois de os rebeldes capturarem o centro urbano, assumindo assim o controle de uma importante rodovia que liga Trípoli à fronteira com a Tunísia.

Nesta segunda-feira, os rebeldes disseram ter capturado também a localidade de Garyan, ao sul de Trípoli, por onde passa outra importante rodovia de acesso à capital. Não foi possível verificar imediatamente essa informação.

‘Garyan está totalmente nas mãos dos revolucionários’, disse por telefone o porta-voz rebelde chamado Abdulrahman. ‘Kadhafi… está isolado do resto do mundo.’

Na vizinha Tunísia, fontes dizem que rebeldes e representantes do governo mantêm negociações secretas na ilha turística de Djerba.

Um porta-voz do governo, no entanto, negou que haja contatos com os rebeldes. ‘O líder está aqui na Líbia, lutando pela liberdade da nossa nação. Não vamos deixar a Líbia’, afirmou o porta-voz Mussa Ibrahim.

Os rebeldes não têm condições militares de avançar sobre Trípoli, mas esperam que o cerco à capital derrube o regime de Kadhafi ou inspire uma rebelião na cidade. Em ocasiões anteriores, porém, eles tiveram dificuldades em preservar seus avanços, e um contra-ataque das forças governistas poderia romper o sítio.

Repórteres da Reuters em Zawiyah, 50 quilômetros a oeste de Trípoli, dizem que as forças de Kadhafi ainda controlam a refinaria local e que seus francoatiradores ocupam posições em telhados, mas que a rodovia que liga Trípoli à Tunísia está fechada.

Num hospital local, funcionários disseram que seis rebeldes morreram e 26 ficaram feridos na ofensiva. Eles também disseram que disparos feitos pelas forças de Kadhfai mataram três civis. Um homem foi baleado na cabeça, e uma menina de 15 anos morreu por ferimentos causados por estilhaços.

A população de Zawiyah já se rebelou em duas ocasiões, mas ambas as revoltas foram esmagadas por seguidores de Kadhafi. Esta, no entanto, é a primeira vez em que rebeldes avançando a partir das montanhas ao sul chegam à cidade, incorporando-a à frente de combate.

Nesta segunda-feira, a bandeira totalmente verde que identifica o regime de Kadhafi ainda era vista na fronteira com a Tunísia, mas o tráfego constante de produtos que outrora abastecia as áreas sob controle do governo havia praticamente parado.

Passageiros disseram que a estrada só estava transitável num trecho de 70 quilômetros a partir da fronteira, o que significa um terço do caminho de lá até Trípoli.