Mesmo com a ausência de Tiago Splitter, poupado por causa de um problema no joelho, o Brasil cresceu no segundo tempo e não teve problemas para derrotar o México por por 79 a 57 nesta quinta-feira, em amistoso realizado no Ginásio da Hebraica, em São Paulo. O cestinha da partida foi o ala-pivô Guilherme Giovannoni, com 20 pontos. A seleção manteve a invencibilidade na preparação para o Pré-Olímpico de Mar del Plata, na Argentina, que começa em 30 de agosto.

Após conquistar o torneio Super 4 na Venezuela, a seleção comandada pelo técnico argentino Rubén Magnano pôde contar pela primeira vez com quase todos os convocados. Marcelinho Huertas, Rafael Luz, Paulão Prestes e Augusto Lima ficaram fora dos primeiros jogos, mas entraram em quadra nesta quinta-feira após a Confederação Brasileira de Basquete (CBB) acertar o pagamento de seus seguros aos seus respectivos times na Europa.

Magnano ainda têm 14 jogadores no elenco e precisará cortar dois para fechar a lista do Pré-Olímpico. Nesta quinta, à exceção do machucado Splitter e do armador Nezinho, todos os outros entraram em quadra. Rafael Luz e Marcelinho Huertas começaram o jogo na armação, com Rafael Hettsheimer de pivô durante a maior parte do jogo. No início do segundo período, o ala Marquinhos chegou a assustar após uma pancada no joelho e teve de sair amparado de quadra. Mas o problema não foi grave e ele pôde voltar ao jogo sem problemas.

O Brasil volta à quadra neste sábado, novamente contra o México. O jogo será disputado no ginásio do Paulistano, em São Paulo, às 12h (de Brasília).