Uma arara canindé foi atropelada por volta das 7h desta segunda-feira (15), na avenida Salgado Filho em Campo Grande. Um servidor público passava de moto pela avenida quando duas aves passaram em voo rasante, momento em que uma delas foi atingida.

O motociclista entrou em contato com a Polícia Militar Ambiental (PMA). Como o mesmo não poderia esperar no local, levou o animal ao Sindsep (Sindicato dos Servidores Públicos Federais de MS), para onde se deslocava.

Por volta das 10h30 a PMA resgatou o animal já sem vida. A polícia tinha apenas uma viatura disponível no momento. “Demoraram muito, até por volta das 9h20 ela ainda estava viva”, disse a secretária Márcia Ferreira Marques, 25. O animal será limpo e taxidermizado (empalhado).

A arara-de-barriga-amarela ou arara-canindé (Ara ararauna) é um animal encontrado em países como Brasil, Bolívia e Paraguai.

A espécie que tem as partes superiores azuis e inferiores amarelas chega a medir 90 cm de comprimento.

A canindé se alimenta de frutos e castanhas. A ave enfrenta problemas em relação a extinção, pois é muito procurada como “bicho de estimação” por ser dócil, quieto (dependendo das condições do cativeiro) além da capacidade de repetir a fala humana. Uma vez que formam casal, não mais se separam, botam cerca de 3 ovos e chocam entre 27 e 29 dias. Em cativeiro, vivem aproximadamente 60 anos.