Fernando Diniz vestiu a camisa da comissão técnica da seleção brasileira nesta segunda-feira, dois dias depois de ser campeão da com o Fluminense, e convocou os jogadores que irão representar o Brasil contra e Argentina, em jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo, nos dias 16 e 21 de novembro, respectivamente. A principal novidade foi a inclusão do atacante Endrick, do Palmeiras, chamado pela primeira vez para a seleção principal, mas outros nomes também atraem atenção, especialmente entre as opções ofensivas. Neymar não é uma delas, pois se recupera de uma cirurgia no joelho.

Além do jogador de apenas 17 anos, que vem sendo decisivo para o Palmeiras nesta reta final de temporada e responsável direto por manter o time na briga pelo título brasileiro, Diniz chamou mais três estreantes para o ataque, caso de Paulinho, 23 anos, autor de 24 gols pelo Atlético-MG nesta temporada. As outras novidades foram João Pedro, de 22 anos, revelado pelo Fluminense e hoje jogador do Brighton, da Inglaterra, e Pepe, 26, ex-Grêmio e atualmente no Porto, de Portugal. Quem ficou de fora foi Richarlison, do Tottenham, alvo constante de críticas.

No meio de campo, o retorno de Douglas Luiz, do West Ham, que chegou a figurar em convocações durante o ciclo de Tite, aparece como a grande novidade. Joelinton, do Newcastle, também está de volta, depois de ser chamado na primeira convocação de Diniz para a Data de setembro e ficar de fora dos jogos de outubro.

Para as laterais, apenas três nomes foram convocados: Emerson Royal (Tottenham) para direita e Carlos Augusto (Inter de Milão) e Renan Lodi (Olympique de Marselha) para esquerda. Na prática, Pepê, convocado como atacante, seria o quarto nome, pois pode jogar como lateral-direito. Na última Data Fifa, todos os laterais convocados originalmente foram cortados por lesão. Lodi estava entre os cortados, mas se recuperou. Os outros que se machucaram na ocasião foram Danilo, Caio Henrique e Vanderson. Já na zaga e no gol foram chamados exatamente os mesmo jogadores da convocação anterior.

A convocação desta segunda foi a terceira de Diniz, que tem contrato com a seleção até junho de 2024, quando a CBF espera substituí-lo por Carlo Ancelotti, hoje treinador do Real Madrid. Embora Ednaldo Rodrigues, presidente da confederação, tenha garantido a conclusão de tal movimentação, o técnico italiano passou os últimos meses se esquivando do assunto. Sob o comando de Diniz, que comanda o Fluminense paralelamente, o Brasil tem duas vitórias, um empate e uma derrota.

A Data Fifa de outubro foi a mais frustrante, com um empate por 1 a 1 com a Venezuela, em Cuiabá, e uma derrota por 2 0 para o Uruguai, em Montevidéu. O próximo compromisso, dia 16, é com a Colômbia, às 21 horas de Brasília, no Estádio Metropolitano Roberto Meléndez, em Barranquilla. Já o duelo com Argentina, dia 21, às 21h30, no Maracanã, onde o Fluminense de Diniz bateu o Boca Juniors por 2 a 1, com um gol de Cano no tempo regulamentar e outro de John Kennedy na prorrogação, e ergueu a taça da Libertadores pela primeira vez na história.

Confira a convocação de Fernando Diniz para a Data Fifa de novembro:

Goleiros: Alison (Liverpool), Ederson (Manchester City) e Lucas Perri (Botafogo).

Laterais: Emerson Royal (Tottenham), Carlos Augusto (Inter de Milão) e Renan Lodi (Olympique de Marselha).

Zagueiros: Bremer (Juventus), Gabriel Magalhães (Arsenal), Nino (Fluminense) e Marquinhos (PSG).

Meio-campistas: André (Fluminense), Bruno Guimarães (Newcastle), Douglas Luiz (Aston Villa), Joelinton (Newcastle), Raphael Veiga (Palmeiras) e Rodrygo (Real Madrid).

Atacantes: Endrick (Palmeiras), Gabriel Jesus (Arsenal), Gabriel Martinelli (Arsenal), João Pedro (Brighton), Paulinho (Atlético-MG), Pepê (Porto), Raphinha (Barcelona) e Vini Jr. (Real Madrid).