O volume de serviços no Brasil registrou um avanço de 0,9% em maio, em comparação com o mês de abril de 2023, na série com ajuste sazonal. O resultado positivo vem após um recuo de 1,5% no mês anterior. Em Mato Grosso do Sul, o avanço foi de 2,3% entre abril e maio deste ano.

Apesar do avanço positivo no ultimo mês, no acumulado entre os meses de janeiro a maio, Mato Grosso do Sul foi o único Estado que obteve influência negativa sobre índice nacional (-0,3%).

Conforme os dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgados nesta quarta-feira (12), o setor se encontra 11,5% acima do nível de fevereiro de 2020 (pré-pandemia) e 2,0% abaixo de dezembro de 2022 (ponto mais alto da série histórica).

Na série sem ajuste sazonal, no confronto com maio de 2022, o volume de serviços cresceu 4,7%, o que corresponde a 27ª taxa positiva consecutiva. O acumulado do ano foi de 4,8% em comparação ao mesmo período de 2022.

Nos últimos 12 meses, o acumulado foi de 6,8% em abril para 6,4% em maio de 2023, menor resultado desde agosto de 2021 (5,1%).

Transportes impulsionou resultado positivo

Entre os setores em destaque estão o de transportes, que registrou um (2,2%), e recuperou parte da queda (-4,3%) registrada em abril.

Na sequência, o setor de serviços prestados às famílias teve um avanço de 1,1%; dos outros serviços (0,6%); e de informação e comunicação (0,2%), com o primeiro alcançando um ganho acumulado de 2,2% no período abril-maio; o segundo recuperando uma parte da perda de 1,7% registrada nos dois meses anteriores; e o último assinalando um ligeiro acréscimo (0,2%) após recuar 1,1% em abril.

Por outro lado, o único setor que teve recuou foi o de serviços profissionais, administrativos e complementares, com retração de -1,0%, pelo segundo mês consecutivo, acumulando perda de 1,5% no período.

aerorporto
Aeroporto Internacional de Campo Grande. (Foto: Henrique Arakaki/Jornal Midiamax)

Alta no setor de turismo

Outro setor que obteve destaque em maio foi o de atividades turísticas, que cresceu 4,0% no mês. A atividade registrou o segundo resultado positivo consecutivo e acumula um ganho de 4,7%.

Com o avanço, o setor opera 5,6% acima do patamar de fevereiro de 2020 e 1,9% abaixo do ponto mais alto da série, alcançado em fevereiro de 2014.

O levantamento mostra que onze dos 12 locais pesquisados cresceram em maio. Entre os destaques estão São Paulo (2,8%), Rio de Janeiro (3,8%), Minas Gerais (3,3%) e Bahia (5,1%). A única retração foi do Ceará (-0,6%).

Crescimento em 24 das 27 unidades da Federação

A níveis regionais, os dados mostram que houve resultados positivos em 24 das 27 unidades da Federação em maio de 2023, frente ao mês anterior, acompanhando o resultado do Brasil (0,9%) na série com ajuste sazonal.

Entre os estados que obtiveram resultados positivos destaca-se Mato Grosso (22,5%), Rio de Janeiro (3,4%), Minas Gerais (2,6%), Rio Grande do Sul (2%) e Goiás (5%). A maior queda foi de São Paulo (-1,5%).

MS é o único a registrar influência negativa sobre índice nacional

Em maio, o volume de serviços registrou avanço em 23 das 27 Unidades da Federação em comparação a maio de 2022. A principal contribuição positiva ficou com o Rio de Janeiro (7,7%), seguido por Minas Gerais (9,3%) e Paraná (13,3%). Em sentido oposto, São Paulo (-0,9%) assinalou o resultado negativo mais relevante do mês.

No acumulado de janeiro a maio de 2023, frente a igual período do ano anterior, o avanço do volume de serviços no Brasil foi de 4,8%. Contudo, Mato Grosso do Sul foi o único Estado que obteve influência negativa sobre índice nacional (-0,3%).

Entre os impactos positivos em termos regionais destacam-se São Paulo (1,6%), Rio de Janeiro (6,6%), Minas Gerais (8,6%), Paraná (11,2%), Santa Catarina (10,6%) e Rio Grande do Sul (7,5%).