Pecuaristas paraguaios comemoram acordo estabelecido nesta semana pelo Governo do Paraguai e os . Pela primeira vez na história, o país passará a exportar para os norte-americanos. Inicialmente, estima-se um envio de 10 toneladas anualmente.

O acordo foi formalizado nessa quinta-feira (9) pelo vice-ministro do Crescimento Económico, Energia e Ambiente do Departamento de Estado dos EUA, José W. Fernández, com o Presidente Santiago Peña e o Embaixador dos EUA no Paraguai, Marc Ostfield.

A decisão torna o Paraguai um dos 18 países do mundo capazes de exportar produtos de carne bovina para os EUA. O acordo deve ser homologado pelo Registro Federal dos Estados Unidos em 14 de novembro, e entrará em vigor em 14 de dezembro deste ano.

A estimativa é que o Paraguai fique entre 10 e 15% da cota de novos exportadores, que é de 10 mil toneladas. “Isso equivale a 6.000 dólares por tonelada e corresponde a 60 milhões de dólares por ano”, explica o ministro da Indústria e do Paraguai, Javier Giménez, em entrevista à rádio Universo 970 AM-Nación Media.

“Essa decisão representa um grande passo para os produtores de carne do Paraguai e também da fronteira com o Mato Grosso do Sul, uma vez que temos grandes investimentos em Pedro Juan Caballero”, explica um pecuarista sul-mato-grossense que tem investimentos no País vizinho.

Para celebrar o acordo histórico, o governo paraguaio espalhou mídia com alusão ao momento. Em uma delas (conforme publicação abaixo) a imagem de um bovino com vestimenta que lembra a icônica imagem do Tio Sam e cores da bandeira do Paraguai.

Cartaz divulgado pelo governo do Paraguai (reprodução)

Saiba Mais