Em Campo Grande, litro do combustível tem variação de 29% nos postos, aponta Procon-MS

Pesquisa foi feita em postos de combustível da região central
| 03/02/2022
- 11:44
Foram pesquisados 28 estabelecimentos.
Foram pesquisados 28 estabelecimentos. - (Foto: Divulgação/Governo do Estado)

O litro do combustível tem valor variado de até 29,412% na região central de Campo Grande, conforme pesquisa de preços realizada pelo Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do de MS), divulgada nesta quinta-feira (3).

Ao todo, 28 estabelecimentos foram visitados entre os dias 27 e 28 de janeiro, por conta de reclamações de preços diferentes em várias unidades da Capital, ainda com oscilação de valores nos pagamentos em dinheiro, e cartões de crédito e débito. Foram 15 itens pesquisados, dentre os mais utilizados como comum e aditivada, etanol e diesel S 500 e S 10.

Os postos analisados foram: Auto Posto Avenida, Auto Posto Pilloto, Alloy Auto Posto II, Auto Posto 13 de Maio, Auto Posto 2017, Auto Posto Afonso Pena, Auto Posto Master, Auto Posto Pororoca XVII, Auto Posto Shiraishi VI, Auto Posto Vilaça, Auto Posto Vilaça III, Posto Acácia, Posto Alloy, Posto Avenida Afonso Pena, Posto Cidade, Posto Figueira da Trindade, Posto Gueno Prosa, Posto Itanhangá, Posto Mediterrâneo, Posto Pegoraro, Posto Piraputanga, Posto Rui Barbosa, Posto Yonamini E Cia, Posto Santa Rita de Cássia, Posto São Francisco Locatelli, Posto Trokkar, Posto Vip e Posto WA.

A maior variação encontrada foi no litro do Etanol no crédito, com 29,412%, sendo o maior valor encontrado a R$ 5,434 no posto Mediterrâneo e o menor valor, de R$ 4,199, no Auto Posto Shiraishi. No dinheiro, o menor preço encontrado foi de R$ 4,96, no Posto Vilaça e o mais caro também no Posto Mediterrâneo, por R$ 5,34.

A menor variação foi de 4,390% no litro da Gasolina Comum no dinheiro, sendo o maior valor de R$ 6,587, no Posto Mediterrâneo, e R$ 6,310 no Posto Acácia. A Gasolina Aditivada a mais cara foi encontrada no posto Pilloto, por R$ 6,87 e o menor preço foi R$ 6,37 no Alloy.

De 9 a 12 produtos cotados nos estabelecimentos, 12 deles registraram preços com variação menor e 15 apontam o maior. Clique aqui e confira a pesquisa na íntegra. 

 

Veja também

Custos com a tonelada saltaram de R$ 1.800 para R$ 5.400 em apenas quatro meses, onerando a vida dos produtores rurais

Últimas notícias