Mato Grosso do Sul chegou a 75 mil pessoas sem trabalho, no terceiro trimestre de 2022. O número é 2,6% maior que o total do mesmo período do ano passado. Mesmo caindo uma posição no ranking, o estado tem a menor taxa de desocupação do país.

Os dados da PNAD Contínua foram divulgados nesta quinta-feira (17) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). No Brasil, a taxa de desocupação no terceiro trimestre de 2022 foi de 8,7%, com leve queda.

A taxa de informalidade do MS para o 3° trimestre de 2022 ficou em 33,7%, o que representa, em números absolutos, 469 mil trabalhadores, mil trabalhadores a menos que o trimestre anterior. Desta forma, MS apresenta a 6ª menor taxa de informalidade em comparação com os demais estados.

Em números absolutos, o IBGE aponta que Mato Grosso do Sul tem 1 milhão de empregados, sendo 701 mil estão no setor privado, 208 mil no setor público e 98 mil trabalhadores domésticos. O número das pessoas no setor privado, sem carteira de trabalho assinada, foi estimado em 166 mil.

A população ocupada como empregador, no 3º trimestre de 2022, era de 66 mil, o que demonstra uma variação de -12,4% em relação ao trimestre imediatamente anterior (75 mil) e de 8,7% em relação ao mesmo trimestre de 2021 (61 mil).