O incêndio que ocorreu na do Mandela, na última quinta-feira (16), evidencia a vulnerabilidade dessas comunidades e como estão suscetíveis a tragédias. Apesar de ainda ser estudado de qual forma o fogo começou, a combinação de vento, vegetação e material facilmente inflamável como plástico e madeira contribuíram para que as chamas ganhassem força e destruíssem pelo menos 60% da comunidade. 

Levantamento feito pela Cufa (Central Única das Favelas) aponta 43 favelas e 36 mil famílias vivendo nesses espaços em

A coordenadora da Cufa Campo Grande, Letícia Polidório, explica que a vulnerabilidade social das famílias nas favelas favorece acidentes. A falta do gás de cozinha, por exemplo, leva uma mãe a acender o fogo de forma improvisada.

“A gente está com calor muito excessivo na cidade e as questões são inúmeras de vulnerabilidades”, ela afirma. 

Ações em favelas

O último levantamento da (Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários) contabilizou 20 áreas ocupadas de forma irregular em processo de regularização fundiária. 

Contudo, o órgão pretende fazer uma nova pesquisa para a atualização sobre as ocupações, “uma vez que nos últimos anos houve uma alteração significativa de demanda e redução da irregularidade”. 

Favela do Mandela após incêndio. (Nathalia Alcântara, Midiamax)

Na atual gestão, a Prefeitura contabiliza mais de 5 mil processos de regularização concluídos ou em fase de finalização.

O Midiamax questionou a Prefeitura Municipal de Campo Grande se haverá uma “força-tarefa” sobre orientações em comunidades para evitar acidentes que podem levar a incêndios, como aconteceu no Mandela. 

Em resposta, a informou que o foco, neste momento, é solucionar os problemas da Comunidade Mandela. 

Um Plano de Contingência deve ser montado posteriormente para atuar nas demais comunidades, mas a Prefeitura não deu detalhes sobre quando e quais os assuntos que devem ser tratados. 

Saiba como doar para os moradores da favela do Mandela:

Famílias retornam ao local de incêndio. (Nathalia Alcântara, Midiamax)

Cufa (Central Única das Favelas)

As doações podem ser entregues nos seguintes endereços: Rua Livino Godoi, 710, bairro São Conrado ou Rua Salamanca, 133, bairro Bonança. Mais informações: 67 9181-8142 ou nas redes sociais

Projeto Sorriso Feliz

Doações podem ser entregues na rua Anita Garibaldi, 296 ou no PIX 52.816.282/0001-01. Mais informações 67 9623-3163 ou nas redes sociais

CRAS

De acordo com a prefeitura, doações podem ser feitas diretamente nos Cras (Centro de Referência de Assistência Social). O mais próximo da comunidade é o Cras Estrela do Sul, localizado na Av. Pref. Heráclito Diniz de Figueiredo, s/n – Conj. Res. Estrela do Sul.

Fundo de Apoio à Comunidade

Os itens podem ser entregues no FAC na avenida Fabio Zahran, 6.000, Vila Carvalho. Mais informações: 67 2020-1361