Em 2021, três mulheres agentes comunitárias de saúde decidiram agir para amenizar a quantidade de gatos pelas ruas de bairro de . Sem dinheiro no bolso para investir, mas com vontade de ajudar, elas viram na venda de latinhas a saída para tirar o do papel.

E foi assim que surgiu o Projeto Gato Castrado, que atende os bairros Serradinho, Nova Campo Grande e Vila Popular. Em um ano e meio, o projeto conseguiu castrar 87 gatos que pertencem a pessoas de baixa renda ou estavam na rua.

“Nós moramos e trabalhamos nessa região e vimos diariamente a situação dos animais nas ruas e se reproduzindo de maneira descontrolada. A castração ajuda em muitos aspectos o animal e o tutor”, explica Eugênia Severino Souza, de 43 anos, idealizadora do projeto.

Pedido de ajuda para doação de latinhas

A saída encontrada pelas mulheres para castrar os animais foi reverter o dinheiro da venda de latinhas em castrações. Porém, pela tabela social, castrar um animal custa cerca de R$ 200, enquanto o quilo da latinha é vendido por R$ 5 em média.

Na prática, elas precisam vender 40 kg de latinha para conseguir castrar um gato. Além de juntar as latinhas em casa, elas decidiram pedir ajuda para amigos. “O material reciclável está valorizado, então decidimos pedir e juntar para reverter em castrações. Quem tiver e quiser ajudar, pode entrar em contato”, afirma Eugênia.

Para reverter de forma efetiva a venda dos recicláveis, a coordenadora do projeto conta que os primeiros gatos a serem castrados eram de catadores de recicláveis. “Para não acharem que estamos tirando o trabalho deles, nós ajudamos essas pessoas que vivem de recicláveis primeiro. Mas nosso trabalho é diminuir a população de gatos abandonados na região”.

Demanda gigante de animais

As castrações do projeto Gato Castrado acontecem conforme há disponibilidade de dinheiro. Mas as mulheres contam com uma fila de espera com mais de 100 gatos cadastrados. “Criamos um banco de dados porque tem muita necessidade”, diz.

O projeto considera que pessoas de baixa renda não tem condições de investir R$ 200 ou mais na castrações de seus animais domésticos. “É muito dinheiro para essas pessoas, por isso queremos ajudar”, explica.

Interessados em entrar em contato com o projeto Gato Castrado pode fazer via 67 99138 2876 ou do @projgatocastrado

Prefeitura disponibiliza 600 vagas por mês

Todo mês a Ubea (Unidade de Bem-Estar Animal) abre 600 vagas para castração gratuita de animais, sendo 300 senhas para gatos e 300 para cães. Os tutores precisam estar cadastrados no NIS (Número de Identificação Social).

Para atendimento, é preciso comparecer na Ubea munido com comprovante de residência, documento com foto e o NIS. 

A distribuição de senhas ocorre nos turnos matutino e vespertino, com 30 atendimentos diários, sendo 15 no período da manhã (8h às 10h30) e 15 no período da tarde (13h30 às 16h30).