A nova empresa que irá gerir o parquímetro em terá a disposição número maior de vagas: serão 6,2 mil vagas no estacionamento rotativo de Campo Grande para explorar. O valor cobrado foi ajustado para a nova concessão e deve ser de R$ 4,40.

Entretanto, segundo a assessoria do diretor-presidente da (Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Campo Grande), Odilon de Oliveira Júnior, a quantia a ser explorada será definida com base em estudos feitos pelas secretarias técnicas.

Ou seja, esse número não será operacionalizado desde o início e a empresa vencedora pode nem chegar a utilizar todas as vagas. A quantidade inicial deve ser divulgada quando iniciar a operação.

Mais de um ano sem cobrança

Campo Grande está sem parquímetro desde março de 2022, quando a FlexPark deixou a concessão. A (Agência Municipal de Trânsito), inclusive, entrou com nova ação pedindo até perícia judicial nas contas da FlexPark.

Odilon Júnior disse ao Jornal Midiamax no fim de abril que o processo licitatório está na fase final e sendo analisado pelo CMDU (Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano). Expectativa era que a licitação fosse lançada até 2 de maio.

Em nota, a Agereg informou que o estudo técnico para definir o valor da hora, que deve ficar em R$ 4,40, foi baseado no IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado). O valor é 60% maior do que os R$ 2,75 por hora cobrado pela Flexpark antes de deixar a operação do serviço.

“Este valor levou em conta a recomposição das perdas inflacionárias, bem como a evolução de fatores tecnológicos e técnicas para operação e fiscalização do serviço de estacionamento rotativo previstos no de licitação e que precisam ser cobertas pela tarifa”, disse Odilon.