Água de cemitério desce até lanchonete, espanta clientes e revolta comerciante em Campo Grande

O escoamento de água servida nas ruas é considerado ato lesivo a limpeza pública, de acordo com lei municipal
| 08/02/2022
- 20:24
Água servida é jogada na Avenida Presidente Getúlio Vargas
Água servida é jogada na Avenida Presidente Getúlio Vargas, esquina com a Cristiano Machado. - Divulgação/Leitor Midiamax

O comerciante Moisés Flores reclama de água com barro que sai do cemitério Santo Amaro e desce até sua lanchonete, no Bairro Santo Amaro, em Campo Grande. 

Ao Jornal Midiamax, ele relatou que a água percorre as ruas do bairro e passa pela sua lanchonete, que fica em frente ao cemitério, na Avenida Presidente Getúlio Vargas, esquina com a Cristiano Machado. "Quando eles veem que a gente tira foto lá eles desligam. Já aconteceu de deixar dois ou três dias ligado", aponta. 

Confira imagens:

O município de Campo Grande tem lei aprovada que proíbe o escoamento de água servida nas ruas. Conforme Código Municipal de Resíduos Sólidos, artigo 77, inciso V é considerado ato lesivo a limpeza pública "descarregar ou vazar águas servidas de qualquer natureza em passeios, vias ou logradouros públicos".

A equipe de reportagem do Jornal Midiamax acionou a Prefeitura Municipal para tratar acerca da água servida na região do Santo Amaro, que esclareceu que equipes da vão avaliar a situação para tomar as devidas providências.

Quer enviar uma reclamação ou sugestão de pauta?

Fale com os jornalistas do Midiamax! O leitor enviou as imagens ao do jornal no número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Veja também

Diversas outras apostas conseguiram faturar prêmios menores

Últimas notícias