A seca no tem forçado situações extremas em Mato Grosso do Sul. Uma delas foi registrada na região da Ilha do Nabileque, na área de , onde o gado de uma fazenda dividiu uma poça de lama – onde antes era um córrego – com os jacarés.

Vídeo postados nas mostra a situação e também o resgate de um dos animais, que estava atolado bem ao lado de vários jacarés, dentro do lamaçal. Confira o registro:

Seca em MS

O fenômeno Lã Nina está atuando em Mato Grosso do Sul e prejudicando os níveis de chuva neste ano. O balanço do (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima) no mês passado, aponta que setembro, outubro e novembro devem ser de chuvas até 50% abaixo do normal no extremo sul do Estado.

Todos os municípios estão classificados na seca, desde a seca fraca a extrema. As cidades em estado extremo são: Anastácio, Aparecida do Taboado, , Bodoquena, Bonito, Caracol, Cassilândia, Inocência, Jardim, Ladário, Miranda, Nioaque, Paranaíba, e Sete Quedas.

Na maior parte do Estado as chuvas variam entre 300 e 400 mm para o trimestre. A previsão probabilística indica que as chuvas ficarão entre 40 e 50% abaixo da média climatológica, principalmente no extremo sul de Mato Grosso do Sul.

O prognóstico para os meses de setembro, outubro e novembro é de chuvas abaixo na média e seca, devido à atuação do fenômeno Lã Nina. A média climatológica para o trimestre indica que as chuvas devem variar entre 200 e 500 mm no Estado. Já nas regiões do Bolsão, em Brasilândia, e Pantanal, como em Corumbá, as chuvas variam entre 200 e 300 mm e na região Sul-Fronteira, Bela Vista e Ponta Porã, entre 400 e 500 mm.