Ong do Príncipe Charles listou obra em MS como promotora de sustentabilidade

| 24/05/2022
- 09:53
Ong do Príncipe Charles listou obra em MS como promotora de sustentabilidade
(Foto: Divulgação)

O projeto de décadas da realeza Príncipe Chales, Sustainable Markets Initiative, em tradução para Iniciativa de Mercados Sustentáveis, considerou uma em planejamento no Mato Grosso do Sul como sustentável. A atividade é listada como produção de combate às mudanças climáticas e à perda de biodiversidade.

Como parte da iniciativa sustentável, a Ong (Organização Não Governamental) lista os trabalhos da Nova Ferroeste como solução inteligente, pois, as ferrovias são descritas pelo Banco Mundial como “o meio climático inteligente e eficiente para transportar pessoas e cargas”. O Brasil, está classificado no 5º lugar de maior produtor de mercadoria do mundo.

A Nova Ferroeste está sendo elaborada para viagens conectando o município de Maracaju, a 160 quilômetros de Campo Grande, a Dourados. A partir de Maracaju, será possível chegar à cidade portuária de Paranaguá, no Paraná, aumentando a competitividade das commodities produzidas em território sul-mato-grossense.

Projeto de sustentabilidade príncipe Charles
Terminal Ferroviário de Cotriguaçu, no Paraná. (Foto: Divulgação)

Obra milionária ainda passa pelos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, lugares considerados como responsáveis por quase 1/3 produtores agrícolas do país. “A mesma região tem uma malha ferroviária que está abandonada ou limitada devido ao seu design centenário. É importante ressaltar que a região sudoeste também enfrenta limitações no transporte aquaviário. Os rios não são compatíveis para o transporte, pois fluem para o interior e para o sul, e não para a costa leste. A solução de transporte atual para tudo isso são os caminhões a diesel”, pondera a descrição da Iniciativa.

Dentre os motivos de classificar a obra como sustentável estão:

  • Diminuir o consumo de combustível (cerca de 24 bilhões de litros de diesel em 65 anos)
  • Redução substancial de e mortes na estrada
  • Redução nos custos de transporte
  • Proporcionar trabalho decente e crescimento econômico
  • Reduzir a pobreza e as desigualdades

Embora muita expectativa, ainda falta muito para os trens estejam em funcionamento. O cronograma indica que neste ano acontece a fase de leilões para concessão do funcionamento. A empresa que vencer terá direito a funcionar por 99 anos. Está previsto para 2023 a assinatura do contrato, projetos e implantação ferroviária. Só em 2030 deve iniciar a operação da ferrovia.

Veja também

Índice de baixa umidade deve variar entre 30% e 20% ao longo do dia, segundo o Instituto

Últimas notícias