A decisão do Presidente Jair Bolsonaro (PL) de retirar o horário de verão dividiu opiniões, em 2019, mas o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) reascendeu a discussão, na segunda-feira (7).

Em Campo Grande, a população está dividida sobre o retorno do horário de verão. Para Matilde Mendiego, de 57 anos, é difícil reajustar a rotina após a mudança de horário. “A gente se adapta ao horário e quando menos espera muda”, opina ao Jornal Midiamax.

fala povo
Matilde e Creuza não querem a volta do horário de verão (Foto: Nathalia Alcântara/ Jornal Midiamax)

A medida foi criada para aproveitar a iluminação natural nos dias mais longos para poupar energia e reduzir o risco de apagões, ou seja, o amanhecer e o anoitecer aconteciam 1h mais tarde que o habitual.

Dia “rende mais” no horário de verão

Já Maria Odete, de 61, quer a volta da medida. “Rende mais o dia”, explica. Para Creuza Cardoso, de 51 anos, o fato de amanhecer ‘mais cedo’ atualmente é melhor. “Não gosto do horário de verão, assim amanhecer mais cedo”, diz.

A discussão começou na última sexta-feira (4) quando o ator Bruno Gagliasso pediu a volta do horário diferenciado no Twitter. “Horário de verão é o Brasil feliz de novo!”, escreveu o artista. O vice-presidente eleito Geraldo Alckmin respondeu com um emoji ao estilo “anotado”.

fala povo
As irmãs Maria Odete e Maria de Lourdes torcem pela volta (Foto: Nathalia Alcântara/ Jornal Midiamax)

Maria de Lourdes, de 60 anos, concorda com o ator e também defende a volta da medida. “Assim está anoitecendo muito rápido. No horário de verão, quando era 19h ainda estava de dia”, lembra.

Quem também defende que o horário não volte é Ramão Souza Campos, de 74. “Quando está 5 horas da manhã já tá sol e assim é melhor”, diz.

fala povo
Ramão é contra a volta do horário de verão (Foto: Nathalia Alcântara/ Jornal Midiamax)