VÍDEO: ‘gangue de mulheres’ pratica roubos e aterroriza comerciantes no Centro de Campo Grande

Grupo furta itens como perfumes, bolsas, óculos e sapatos
| 19/02/2022
- 20:50
Grupo estaria cometendo crimes desde o final do ano passado.
Grupo estaria cometendo crimes desde o final do ano passado. - (Foto: Reprodução)

Um grupo de mulheres estaria praticando crimes em lojas no Centro de Campo Grande e gerando medo nos comerciantes da região. O grupo, também chamado de ‘gangue de mulheres’, seria formado por quatro pessoas, que praticam crimes e tentam evitar a prisão formando “escândalos” e simulando agressões.

De acordo com o presidente da CDL (Câmara dos Dirigentes Lojistas), Adelaido Vila, o grupo já praticou crimes em quatro lojas da Capital, o último furto foi em uma rede voltada para o público feminino, na ocasião elas teriam agredido uma das seguranças.

Conforme apurado pela reportagem, umas das integrantes, de 22 anos, foi detida em dezembro do ano passado ao furtar um perfume, um óculos e um par de calçados. Ela negou o furto, mas imagens de segurança confirmaram o crime. Atualmente, a autora segue em prisão domiciliar. Em contato com a reportagem, a Guarda Civil Metropolitana disse que monitora a situação.

O grupo também aparece como autor em uma denúncia realizada em 2018, por furtarem um hipermercado de Campo Grande. Além da autora em prisão domiciliar, outras duas mulheres são citadas, de 20 e 22 anos. Elas teriam furtado leite condensado, desodorante, chocolates e outros itens. Na ocasião, elas foram presas em flagrante.

O presidente CDL explicou ter solicitado uma audiência com o presidente do (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) em busca de penas mais duras para o quarteto, pois teme que os comerciantes, cansados com a situação, procurem fazer “justiça com as próprias mãos”.

Imagens adquiridas pelo Jornal Midiamax mostram uma confusão logo após um dos furtos realizados pelo grupo. No vídeo é possível ver um homem, que parece ser segurança do local, ser agredido com diversos objetos arremessados contra ele. Outro vídeo, gravados por câmeras de segurança, mostram as mulheres se reunindo na frente de uma loja.

Veja também

Batalhão de Choque da PM foi acionado para ir até o local onde indígenas decidiram retomar área ancestral e ação terminou em morte

Últimas notícias