Mato Grosso do Sul tem registrado aumento considerável de casos de Covid-19 nas últimas duas semanas, com 492 confirmações. Para efeito de comparação, esse número é superior a soma das seis semanas anteriores, que registrou 487 positivos.

Segundo a presidente do Cosems/MS (Conselho das Secretarias Municipais de Saúde de MS) e secretária em Santa Rita do Pardo, Maria Angélica Benetasso, os dirigentes estão em alerta, principalmente nesta época do ano, onde ocorrem reuniões e maior circulação de pessoas.

“Faz duas semanas que os casos aumentaram muito. Situação que nos preocupa, pois com as férias de final de ano a movimentação das pessoas cresce. Se não redobrarmos os cuidados a tendência é aumentar”, diz.

Decretos e recomendações

Muitos municípios passaram a distribuir máscaras em unidades de saúde, adotar novas medidas, e alguns, como Ribas do Rio Pardo, já publicaram novo decreto.

Sobre as medidas adotadas pelos municípios, Maria Angélica esclarece que os municípios possuem autonomia para editar decretos. Porém, toda a população já sabe o que fazer para evitar a contaminação.

“pedimos principalmente que aqueles grupos de risco façam o uso da máscara, e que quem ainda não completou o ciclo vacinal faça o quanto antes. E se houver suspeitas que façam o teste e fiquem em isolamento”, pede a presidente.

Nova variante da Covid-19

Uma subvariante da ômicron, a BQ.1, está com circulação no Brasil, mas ainda não foi detectada em Mato Grosso do Sul. Ainda assim, as pastas estão em alerta pois o novo tipo pode originar uma nova onda de Covid-19.

“Especialistas esclarecem que as vacinas disponíveis no Brasil continuam sendo eficazes para evitar evoluções mais graves da doença. Estamos disponibilizando as vacinas para crianças a partir de 6 meses, mas está muito a quem do esperado”, complementa Maria Angélica.

De acordo com o Boletim Epidemiológico, publicado pela SES (Secretaria Estadual de Saúde), no dia 22 de novembro, a semana epidemiológica nº46, que compreende de 13 a 19 de novembro houve o registro de 211 casos; e a semana nº 45, que compreende de 06 a 12 de novembro, foram 281.

Situação que não difere do Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde. Na semana de 6 a 11 de novembro houve aumento de 120% na média móvel de casos em relação à semana anterior.