Câncer de mama: Vereador diz que projeto reduziu fila do SUS em Campo Grande

Projeto quer zerar a fila de espera do SUS e segue com meta de 320 atendimentos mensais
| 11/05/2022
- 17:57
Câncer de mama: Vereador diz que projeto reduziu fila do SUS em Campo Grande

Com o intuito de acelerar o processo de consultas e exames médicos, a Casa Rosa conseguiu diminuir a demanda de serviços para especialidade de mastologia, no SUS (Sistema Único de ) e foca em ajudar as mulheres que estão em busca de um diagnóstico preciso sobre o câncer de mama.

O projeto, de autoria do vereador Drº Victor Rocha (PP), foi implementado em novembro do ano passado e considera como prioridade a celeridade no diagnóstico médico, visando o bem-estar da paciente e também rapidez no tratamento.

Dr º Victor Rocha apresentou a proposta considerando que o atendimento no SUS tem um tempo aproximado de dois anos, entre um diagnóstico negativo ou positivo para doença. O prazo é alto, visto que muitas mulheres morrem em decorrência da doença no Brasil.

Em seis meses, a Casa Rosa atendeu 1995 mulheres, dentre o montante, 30 foram diagnosticadas com câncer e seguem em tratamento. O serviço tenta acelerar o tempo de espera e foca em quem realmente precisa da orientação médica especializada, otimizando a entrega de diagnóstico em 15 dias ou no máximo um mês.

A Casa Rosa conseguiu diminuir a alta demanda do SUS e para o autor, o serviço conseguiu alcançar os resultados esperados e ainda segue com intuito de diminuir as filas de espera na saúde pública. "Nosso ambulatório está com uma taxa de diagnóstico acima de 3%, o que significa que a cada 31 pacientes novas, um novo caso de câncer será diagnosticado, quanto mais precoce for o diagnóstico, maiores são as chances de cura. Temos atendido pacientes da Capital e de 34 municípios de Mato Grosso do Sul. Nossa intenção é abrir a possibilidade de agendamento direto, para que a paciente possa escolher qual a melhor data para a consulta e realização de seus exames”, disse o parlamentar.

Veja também

Confronto entre moradores da Guapoy, em Amambai e policiais militares completa sete dias

Últimas notícias