Apesar de aumento de casos de Covid e Influenza, universidades mantêm aulas presenciais em MS

Instituições também não devem exigir 'passaporte' da vacina para alunos
| 11/01/2022
- 18:21
Apesar de aumento de casos de Covid e Influenza, universidades mantêm aulas presenciais em MS
Ilustrativa

Após quase dois anos de incertezas durante a pandemia, as universidades em Campo Grande se prepararam para o ano letivo de 2022. Apesar do aumento de casos de Covid e Influenza, as instituições públicas e particulares mantêm a definição de aulas presenciais em Mato Grosso do Sul. 

Aliada à campanha de vacinação, que soma quase 74% dos moradores totalmente imunizados em MS, as universidades e faculdades afirmaram que vão manter o calendário do ano letivo de 2022 com as aulas presenciais, seguindo 'à risca' as medidas de biossegurança nos campus. 

A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) informou em nota que o retorno das aulas está marcado para 7 de março de 2022, de forma presencial, 'com uso obrigatório de máscara, álcool e sabão para higienização', mas que todo o processo de matrícula e renovação de matrícula continua online. Além disso, afirmou que não haverá exigência de comprovação de vacinação dos acadêmicos.

"A UFMS foi a primeira do país na elaboração do Plano de Biossegurança, com diretrizes para todos os campus, de acordo com as condições sanitárias de cada município e as políticas municipais de prevenção. A Universidade também criou o vacinômetro para monitoramento da cobertura vacinal da comunidade universitária", diz trecho de nota. O Plano de Biossegurança da universidade está disponível em ufms.br/coronavirus.

À reportagem, a (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), também afirmou que, a princípio, as aulas presenciais estão mantidas para o começo de março. "As diretrizes deste retorno para aulas presenciais seguirão os protocolos de biossegurança instituídos pela Universidade no âmbito do Comitê de Assuntos em Urgências e Emergências em Saúde (CAUES). Também serão respeitadas as condições sanitárias de cada cidade, visto que a UEMS tem natureza multicampi, estando presente em 28 municípios do MS, sendo 15 Unidades Universitárias próprias e 13 Polos EaD", pontuou.

Assim como a Uniderp, que informou retornar com as atividades presenciais a partir de 2022, reforçando as medidas de biossegurança. "A partir de 2022, o retorno das aulas presenciais de todos os cursos e de todas as atividades acadêmicas, bem como atividades administrativas, está autorizado seguindo as regras do Decreto Municipal nº 14.903/21 e do plano de biossegurança da instituição, podendo ser alterado conforme deliberação do poder público através das informações da Secretaria de Saúde", disse.

Por meio de nota, a Unigran também afirmou que mantém as aulas presenciais e que acompanha a situação com o Ministério da Educação, Governo do Estado e Prefeitura Municipal. 

"A Unigran Capital conscientiza os seus acadêmicos e colaboradores a manter a vacinação regularizada. Por isso, aplicamos um questionário sobre a vacinação, e concluímos que mais de 90% dos nossos acadêmicos estão vacinados. Como a Prefeitura Municipal de Campo Grande ainda não definiu nada sobre a exigência de um passaporte de vacina, seguimos sem exigir também, porém estamos atentos a toda e qualquer mudança", comentou.

A (Universidade Católica Dom Bosco) também foi contatada, mas até o fechamento desta matéria não havia se posicionado.

Veja também

Convocados substituirão os candidatos ausentes e os que tiveram rescisão sem justa causa

Últimas notícias