Cotidiano

Marcha de Homens: Luiza Brunet participa de ato pelo fim da violência contra mulher em Campo Grande

Ação faz parte da campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres

Gabriel Maymone e Marcos Ermínio Publicado em 06/12/2021, às 10h37

Homens pedem fim da violência contra mulher em Campo Grande
Homens pedem fim da violência contra mulher em Campo Grande - Marcos Ermínio / Midiamax

Campo Grande teve a primeira Marcha de Homens da história na Avenida Afonso Pena, na manhã desta segunda-feira, quando se comemora o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres, também conhecido como o Dia do Laço Branco.

O evento teve participação da modelo e ativista pela causa, Luiza Brunet, que marchou junto com o prefeito Marquinhos Trad (PSD) e a primeira-dama, Tatiana Trad. A marcha partiu do Paço Municipal e seguiu até a Praça do Rádio e contou com a participação de homens da Prefeitura, servidores, policiais e demais convidados.

A ativista Luiza Brunet destacou a importância de ter homens participando desse tipo de ação. "Sempre falo, desde que me tornei uma ativista mais consciente e atuante, da importância da inclusão dos homens na fala da pirâmide da violência contra a mulher, pois precisa ter esse entendimento de um para outro, por que isso acontece? Como vamos cuidar disso juntos como sociedade, maridos e como agressor? Fiquei surpresa com a quantidade de homens no evento, não é fácil assumir que estão marchando em prol do fim da violência doméstica", declarou.


Luiza Brunet na marcha de homens contra a violência contra a mulher em Campo Grande - Foto: Marcos Ermínio / Midiamax

Para a modelo, a ação contra a violência doméstica deveria ser a nível mundial. "É a maior pandemia global do mundo, deveria ser feito para conscientização global", pontuou.

A ação faz parte da campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, da Semu (Subsecretaria de Políticas para a Mulher). 

A subsecretária de Políticas para a Mulher, Carla Stephanini, destaca a importância de sensibilizar os homens também pelo fim da violência contra a mulher. A marcha acontece pela primeira vez com a mobilização de homens.

“A SEMU faz o atendimento à mulher vítima de violência doméstica, porém, é fundamental trabalhar a prevenção não só com elas mas com os homens também, desconstruindo ideias arraigadas em nossa sociedade, chamando a atenção deles sobre comportamentos machistas e prejudiciais às mulheres”, disse Stephanini.

Jornal Midiamax