Estrada que dá acesso aos ‘destinos de aventura’ em Campo Grande se transforma em lixão a céu aberto

A estrada do rodoanel que dá acesso aos principais pontos de turismo de aventura de Campo Grande está tomada por lixo a céu aberto. Na manhã desta terça-feira (8), era possível constatar o acúmulo de materiais de construção, restos de poda de árvore, carcaça de aparelhos eletrônicos, armários e diversos sofás no local. A estrada […]
| 08/01/2019
- 15:27
Estrada que dá acesso aos ‘destinos de aventura’ em Campo Grande se transforma em lixão a céu aberto

A estrada do rodoanel que dá acesso aos principais pontos de turismo de aventura de Campo Grande está tomada por lixo a céu aberto. Na manhã desta terça-feira (8), era possível constatar o acúmulo de materiais de construção, restos de poda de árvore, carcaça de aparelhos eletrônicos, armários e diversos sofás no local.

A estrada fica à direita da rua Doutor Euler de Azevedo, logo após passar o Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) e dá acesso às cachoeiras do Céuzinho, do Inferninho, ao Morro do Ernesto, estâncias que são utilizadas para festas e a diversas chácaras.

Mesmo sendo um local movimentado, pessoas que não têm consciência ambiental continuam a jogar lixo às margens da estrada e até dentro da área das chácaras.

Sugestão do leitor

O Jornal Midiamax foi ao local após sugestão de matéria do leitor Joel Lopes do Prado. Ele não passava pelo local há algum tempo e nesta semana reparou na situação da estrada. “Tem muito lixo acumulado no local. Devem estar jogando lixo faz tempo”, diz o leitor.

Nesta manhã Wagner José também passava pelo local com a família e confirmou que o problema é constante. “Às vezes, fica meia pista interditada. O pessoal encosta o carrinho e joga o lixo. Não ficam nem constrangidos”, comenta.

Ecopontos

Campo Grande possui locais adequados para o descarte deste tipo de lixo. Após o fechamento do aterro do Jardim Noroeste, foram instalados dois ‘ecopontos’ sob a administração da Solurb – concessionária responsável pela gestão da limpeza urbana e o manejo de resíduos sólidos. Um dos ecopontos, no Jardim Panamá, fica a cerca de 4 quilômetros da estrada onde a população está jogando lixo

O Jornal Midiamax esteve no ecoponto nesta manhã, contudo, o caminho até o local não está menos sujo do que a estrada. Ao longo da avenida José Barbosa Rodrigues, também é possível ver o acúmulo de lixo às margens do Córrego Imbirussu. A situação fica ainda mais grave quando o lixo e os sofás são encontrados na rua Pinto D’água, a apenas 300 metros do ecoponto.

Denúncias sobre terrenos sujos e descarte ilegal de lixo e entulho podem ser feitas pelo 156.

O ecoponto é um local de entrega voluntária regular e gratuita que, recebe resíduos recicláveis (metal, plástico, vidro, papel e papelão), resíduos gerados em construções, demolições e pequenas reformas em prédios ou residências, além de volumosos (mobílias, sucatas e madeiras) e resíduos provenientes de poda de árvores/galhadas. O limite de descarte é de um metro cúbico por usuário do sistema.

O horário de funcionamento é de segunda a sábado das 8 às 18 horas e acessível gratuitamente a qualquer cidadão, que poderá fazer o descarte em contêineres específicos e sinalizados para cada tipo de resíduo.

Ecoponto Panamá: rua Sagarana com avenida professor José Barbosa Hugo Rodrigues

Ecoponto Noroeste: rua Piraputanga esquina com a Rua Guarulhos.

Fale com os jornalistas do Midiamax

O leitor entrou em contato com o Jornal Midiamax pelo telefone (67) 3312-7400. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões também podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 99207-4330.

Veja também

Somente neste ano, Campo Grande registrou 37 óbitos por Influenza

Últimas notícias