Falta de energia que fez empresário perder R$ 30 mil foi provocada por queda de galho

Região ficou  mais de 15 horas sem serviço
| 04/11/2016
- 17:26
Falta de energia que fez empresário perder R$ 30 mil foi provocada por queda de galho

Região ficou  mais de 15 horas sem serviço

Em nota encaminhada ao Jornal Midiamax nesta sexta-feira (4), a assessoria de comunicação da Energisa afirma a queda de um galho na rede de energia elétrica provocou a interrupção do serviços em Ponta Porã, distante 346 quilômetros de Campo Grande. Empresário, Anselmo Raul Bareiro, de 55 anos, dono de uma sorveteria na cidade, teve prejuízo estimado em R$ 30 mil. 

Conforme relatos, a região ficou sem energia elétrica, das 7 horas dessa quarta-feira (2), feriado de Finados, até as 9h30 dessa quinta-feira (3). Foram aproximadamente 26 horas sem o serviço. Em nota, a Energisa defende que nos casos de vendavais que lançam objetos na rede, os reparos são de maior complexidade e devem obedecer protocolos rígidos de segurança.

O empresário rebateu a posição da Energisa e disse que o problema é chamado popularmente por eletricistas como 'bate chave'. "No grosso modo o que precisava ser feito era o "bate chave". É um serviço que só é bater no fusível que ele volta a fucnionar. Não há nada de complexo nisso", disse.

No dia em que ocorreu o incidente o empresário contabilizou 20 chamadas para a Energisa, empresa responsável pelo abastecimento de energia. Quando conseguiu ser atendido foi informado de que a reclamação já havia sido feita por outros moradores.

O problema foi solucionado na manhã de ontem, porém, os sorvetes que estavam armazenados em nove freezers foram perdidos. "Tudo que tinha de estoque, como picolés, sorvetes de potinhos, de 2 litros, de 10 lts, açaí de todos os tamanhos, bebidas, salgados, enfim, tudo está perdido", relata.

Na manhã desta sexta-feira (4), o empresário disse à equipe de reportagem do Jornal Midiamax que para garantir o funcionamento da sorveteria no fim de semana, terá de vir à Campo Grande para buscar os sorvetes e picolés.

"Fiz o pedido na fábrica, mas não vou conseguir entregar hoje. Se for preciso terei de ir em Campo Grande buscar os produtos porque não tenho estoque para atender no fim de semana. Essa situação toda é muita falta de responsabilidade da Energisa e desrespeito com o consumidor", lamenta.

A solicitação do ressarcimento foi feita pelo cliente. Segundo o empresário a Energisa tem cinco dias, contados a partir da data em que o contato foi realizado, para responder sobre o caso. 

Na página da empresa a informação é de que a análise do pedido de ressarcimento ocorrerá dentro dos prazos estabelecidos pela Resolução Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) nº 414/2010 e os  Prodist (Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional) , disposto em seu Módulo 9 – Ressarcimento por Danos Elétricos.

De acordo com a assessoria de comunicação da Energisa após a solicitação o pedido de ressarcimento é estudado e tratado entre a equipe responsável e o cliente. As solicitações podem ser feitas por meio do Canal de Atendimento da Energisa: 0800 722 7272.

(Matéria editada às 13h55 para inclusão de informações)

Veja também

Todos os cursos são ofertados gratuitamente.

Últimas notícias