O senador Renan Calheiros (MDB) pediu a extradição imediato de Jair Bolsonaro (PL) dos Estados Unidos para o Brasil, além de prisão preventiva do ex-presidente em caso de descumprimento. Calheiros enviou o pedido ao ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Alexandre de Moraes, nesta segunda-feira (9).

No pedido, Renan afirma que Bolsonaro tem “participação ativa e responsabilidade” nos atos ocorridos neste domingo (8), em Brasília.

O senador também pede que Bolsonaro seja incluído como investigado nas manifestações e dê explicações sobre “sua participação nos atos antidemocráticos”.

Além disso, Calheiros ainda busca que o ex-presidente explique a reunião ocorrida com o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública e ex-secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Torres.

O então governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, exonerou Torres após as manifestações. Logo depois, o ministro Alexandre de Moraes optou pelo afastamento de Ibaneis.

Confira os principais pedidos feitos por Renan Calheiros:

  • Inclusão de Jair Bolsonaro como investigado no inquérito;
  • Intimação urgente para explicações sobre sua participação nos atos realizados neste domingo em Brasília;
  • Determinação do retorno imediato de Bolsonaro ao Brasil, no prazo de 72 horas;
  • Em caso de descumprimento à ordem de retorno ao território brasileiro no prazo estipulado, requer que seja decretada sua prisão preventiva;
  • Por fim, para dar cumprimento a eventual prisão preventiva, pediu a extradição do ex-presidente.

Abertura de CPI para investigar atos

Senado conseguiu assinaturas suficientes para a instauração da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que irá investigar os atos antidemocráticos relacionados a invasão e depredação de prédios públicos em Brasília.

A CPI, encabeçada pela senadora Soraya Thronicke (União), já possui 31 assinaturas.

Vale lembrar que são necessárias 27 assinaturas para que uma CPI seja instaurada no Senado Federal. Assim, a confirmação de votos necessários para a abertura ocorreu na manhã desta segunda-feira (9).

Manifestantes invadem Brasília

Anteriormente, manifestantes apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), que iniciaram protesto em Brasília (DF), invadiram o Congresso Nacional.

Do mesmo modo, outro grupo, usando cores da bandeira, ocuparam o Palácio do Planalto, sede do Poder Executivo.

Por fim, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse que falou com o governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), para pedir apoio policial.

“O governador me informou que está concentrando os esforços de todo o aparato policial no sentido de controlar a situação”, tuitou.

*Com informações do G1.