Hacker invade painel de publicidade de aeroporto do Rio e exibe vídeos pornôs

O painel fica localizado na área de embarque do aeroporto
| 27/05/2022
- 13:41
Hacker invade painel de publicidade de aeroporto do Rio e exibe vídeos pornôs

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) acionou a na manhã desta sexta-feira, 27, após vídeos pornográficos serem exibidos em um totem de publicidade do Aeroporto Dumont, no centro do Rio de Janeiro. O painel fica localizado na área de embarque do aeroporto.

Em vez de material publicitário, o totem exibiu imagens de um famoso portal de conteúdo sexual. Passageiros que circularam pelo local se dividiram entre risos e reações de perplexidade. A suspeita é de que o painel tenha sido hackeado.

Em nota, a Infraero esclareceu que o totem é administrado por uma empresa terceirizada e que "o conteúdo exibido nos monitores de mídia é de responsabilidade das empresas exploradoras de publicidade, que utilizam redes lógicas e sistemas próprios de divulgação, não tendo qualquer relação com o sistema de informação de voos da Infraero".

CONFIRA A NOTA DA INFRAERO NA ÍNTEGRA

"Ao tomar conhecimento da publicação indevida em um dos monitores publicitários do Aeroporto de Santos Dumont, a Infraero tomou as medidas legais cabíveis, com registro de boletim de ocorrência e comunicação à Polícia Federal, bem como a notificação da empresa terceirizada responsável pela sua gestão para tomar providências quanto à segurança das informações veiculadas em totens de mídia nesta sexta-feira (27/5).

Ressaltamos que o conteúdo exibido nos monitores de mídia é de responsabilidade das empresas exploradoras de publicidade, que utilizam redes lógicas e sistemas próprios de divulgação, não tendo qualquer relação com o sistema de informação de voos da Infraero.

Nesse sentido, reforçando seu compromisso com a segurança de seus passageiros, informamos que os monitores relacionados ao caso permanecerão desligados em nossa rede de aeroportos até que esteja garantida pela empresa exploradora de mídia sua confiabilidade."

Veja também

O valor seria um "auxílio a obras missionárias" de uma igreja ligada ao religioso

Últimas notícias