Empresário quer ressarcir valor de propina paga no RJ

Em seu acordo de delação premiada prestes a ser homologado no STF (Supremo Tribunal Federal), o empresário Eike Batista ofereceu o pagamento de uma quantia de R$ 55 milhões como multa, como forma de “ressarcir” o valor pago pelo carioca como propina a agentes públicos.

Segundo as investigações da Operação Lava-Jato, Eike teria pago 16 milhões de dólares ao ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), a fim de obter vantagens indevidas em seus negócios, no Estado do Rio de Janeiro.

Segundo depoimento de Sérgio Cabral, o ex-governador teria recorrido ao empresário para pedir um pagamento de R$ 25 milhões a R$ 30 milhões. Entretanto, o peemedebista nega ter recebido propina, enquanto Eike prefere não se pronunciar.Eike Batista propõe pagar multa de R$ 55 milhões à Justiça em delação no STF

A multa proposta por Eike é ainda maior do que a fiança de R$ 52 milhões, paga pelo empresário à 7ª Vara Federal Criminal do Rio. Ao todo, R$ 88 milhões em posse do empresário foram bloqueados pela Justiça, além de imóveis e carros.

Eike está em prisão domiciliar e afastado da direção de seus negócios à frente do Grupo X, fundado por ele. Os advogados do empresário dizem que ele só se pronunciará sobre o acordo de delação após a homologação pelo STF, o que deve ocorrer nas próximas semanas.