Política / Pimenta

Picaretagem em Mato Grosso do Sul agita 'mercado das investigações' em Campo Grande de olho nas eleições de 2022

Sobram esquemas e deve faltar papel para tanto dossiê em produção sobre picaretagem em Mato Grosso do Sul

Da Redação Publicado em 13/09/2021, às 09h40

Picaretagem em Mato Grosso do Sul está na mira de dossiês e mais dossiês de olho nas eleições de 2022
Picaretagem em Mato Grosso do Sul está na mira de dossiês e mais dossiês de olho nas eleições de 2022 - (Ilustração sobre reprodução, Web)

Picaretagem em Mato Grosso do Sul está movimentando em Campo Grande verdadeiro 'mercado das investigações'. Sempre de olho nas eleições de 2022, tem gente de todos os lados reunindo o que consegue para supostamente municiar conversas que pretendem diminuir a empolgação de alguns com a sucessão estadual.

Os esquemas são muitos e atuam em variadas frentes, por isso boa parte do trabalho estaria facilitada. Se continuar no ritmo atual, dizem, deve faltar papel para tanto dossiê em produção. Além disso, flagras facilmente identificados, sem grandes esforços investigativos, corroboram a péssima imagem que os órgãos de controle mantêm regionalmente.

Está tudo escrachado, e só não enxergam por falta de motivação política mesmo.

Assim, no embalo dos dossiês pré-eleitorais, tem muita papelada sendo reunida que pode dar grande dor de cabeça para quem faz vista grossa e vive se rasgando em elogios públicos a quem deveria investigar.

Boa parte desses 'levantamentos', segundo quem anda ganhando dinheiro com a indústria dos dossiês, está sendo adquirida para municiar conversas pré-eleitorais em Campo Grande. Intenção seria, segundo revelam, arrefecer os ânimos dos mais empolgados para diminuir o custo das eleições de 2022 em Mato Grosso do Sul...

Picaretagem em MS opera em nichos divididos

Algumas constatações dos levantamentos feitos por investigadores da iniciativa privada já são consagradas no trabalho policial que resultou em grandes operações contra a corrupção em Mato Grosso do Sul. Desta forma, nichos concentram boa parte das operações e os esquemas são muito bem divididos, com poucos elementos que conectam todos os grupos.

Sabendo de algo que MS precisa saber? Conta pro Midiamax!

Se você está por dentro de alguma informação que acha importante o público saber, fale com jornalistas do Jornal Midiamax!

Fala Povo: O leitor pode falar direto no WhatsApp do Jornal Midiamax pelo número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Se preferir, você também pode falar com o Jornal direto no Messenger do Facebook.

Você pode enviar flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões com total sigilo garantido pela lei.

Jornal Midiamax