Câmara aprova criação de comissão para investigar prefeito de Ribas do Rio Pardo

Projeto de Resolução foi aprovado por unanimidade
| 25/05/2022
- 08:05
Câmara
Foto: Divulgação-Câmara Ribas do Rio Pardo.

Por unanimidade, a Câmara Municipal de Ribas do Rio Pardo aprovou na noite desta terça-feira (24), o de Resolução que designa membros da comissão processante para apuração dos fatos contidos em uma denúncia contra o prefeito da cidade, João Alfredo (Psol).

A leitura do documento define a criação da comissão que irá analisar o pedido de cassação do prefeito, baseando na denúncia do vereador Nego da Borracharia que aponta possíveis irregularidades nas medições, no pagamento e na ausência de notas fiscais referentes ao contrato com a Tec Faz.

Após a leitura da resolução, os vereadores votaram o projeto e criaram definitivamente a comissão processante.

Irregularidades

Por apresentar irregularidades dentro do processo, o primeiro pedido de cassação que era analisado pela no início do ano foi arquivado. A comissão então desfez o processo e para seguir com a análise da denúncia, protocolou novamente a ação que pede pela cassação de mandato de João Alfredo.

A primeira votação da CPP ocorreu no último dia 10, onde os vereadores aprovaram por 7x2 a tramitação de uma denúncia que aponta ‘grave lesão aos cofres públicos’.

Câmara denuncia

Nego da Borracharia aponta ser possível constatar diversas irregularidades nas medições, no pagamento e na ausência de notas fiscais referentes ao contrato com a Tec Faz. Segundo o vereador, tudo ocorreu com o pleno conhecimento de João Alfredo, que já teria gasto mais de R$ 800 mil com locações, máquinas e caminhões da empresa só até 18 de novembro de 2021.

“Ao ignorar as efetivas quilometragens e permitir o pagamento de forma equivocada e ainda aceitar realizar pagamentos sem notas fiscais, o Denunciado somente demonstrou seu caráter autoritário e a falta de ética ao atuar frente ao Poder Público, situação que não se pode permitir”, disse o vereador.

Veja também

Ataíde Feliciano da Silva perdeu mandato por acusação de compra de votos, ao fazer 2 doações de combustíveis a eleitores

Últimas notícias