Diante da pandemia, deputados de MS são favoráveis ao adiamento das eleições

Com a pandemia do Covid-19, o novo coronavírus, parlamentares começaram a pensar na possibilidade de adiar as eleições municipais de 2020. Ao Jornal Midiamax, deputados de Mato Grosso do Sul afirmaram que são favoráveis ao adiamento. O deputado Capitão Contar (PSL), acredita que o adiamento para 2022 seria positivo em diversos pontos, entre eles a […]
| 30/03/2020
- 22:00
Diante da pandemia, deputados de MS são favoráveis ao adiamento das eleições
Foto: Luciana Nassar. - Foto: Luciana Nassar.

Com a pandemia do Covid-19, o novo coronavírus, parlamentares começaram a pensar na possibilidade de adiar as eleições municipais de 2020. Ao Jornal Midiamax, deputados de afirmaram que são favoráveis ao adiamento.

O deputado Capitão Contar (PSL), acredita que o adiamento para 2022 seria positivo em diversos pontos, entre eles a economia gerada com eleições municipais a cada quatro anos. Para ele, outro ponto seria a “utilização dos recursos eleitorais e partidários imediatamente no combate à pandemia e à crise econômica”. Como ponto negativo, o parlamentar comenta que “o único problema é termos que prorrogar por mais dois anos as más gestões atuais que urgem por mudanças, a nível de municípios brasileiros”.

O deputado (Republicanos) acredita que o adiamento depende de como estará a pandemia nos próximos meses. “Se continuar essa situação que estamos vivendo até agosto e setembro sou favorável em mudar”.

O parlamentar acredita que se até julho a situação estiver melhor e “aparecer uma vacina que imunize as pessoas, deveriam ter eleições sim”. Para ele as possibilidades das eleições serem adiadas são poucas. “O STF diz que não a possibilidade de mudar as eleições porque teria que mudar a constituição, então creio que dificilmente deixaria de ter eleições esse ano”.

O deputado Evander Vendramini (PP) segue a mesma linha de pensamento, de que o adiamento depende da evolução do coronavírus. Mas o deputado acredita que “o TSE e o Congresso tem que tomar a decisão urgente”.

“Estamos no prazo, até dia 4 de abril estamos cumprindo os prazos, mas para dar tranquilidade para todos e aclarar as regras do jogo, o Congresso tem que alterar a legislação”, explica. Evander acredita é necessário adiar as eleições para evitar aglomeração de pessoas. “Não digo para juntar tudo em 2022, mas pelo menos pra dezembro e as pessoas terem segurança para se reunir”.

TSE – A ministra e presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Rosa Weber, explicou em nota que assim como os outros setores, como saúde pública, a pandemia tem afetado a Justiça Eleitoral. Mas segundo a presidente, ainda estamos em um “momento é prematuro tratar de adiamento das Eleições Municipais 2020”, mas que “ainda há plenas condições materiais de cumprimento do calendário eleitoral”.

Veja também

Últimas notícias