A jornalista e ex-secretária na Prefeitura, de 43 anos, Lidiane Kober, presa em flagrante na noite desse domingo (7), no Bairro Tiradentes, em Campo Grande, após atropelar um motociclista e fugir do local, confessou ter bebidos cerveja em um almoço de família.

Em depoimento, Lidiane contou que estava em casa de parentes durante um almoço de família, e que ‘talvez bebeu duas cervejas’. Ela ainda relatou que estava no carro com seu namorado, sua filha e sobrinhas. 

A jornalista disse que voltava para casa quando no cruzamento ocorreu o acidente, e que o motociclista que parecia ser um motoentregador estava em alta velocidade e bateu na lateral esquerda de seu carro. Ainda segundo Lidiane, no cruzamento não havia sinalização.

Após o acidente, várias pessoas começaram a se aglomerar falando de forma ameaçadora com sua filha e sobrinha, por isso resolveu ir para sua casa já que o motociclista estava consciente e orientado. O seu namorado ficou o local, momento em que foi amarrado por populares.

A jornalista resolveu voltar para o local para fotografar que o cruzamento não tinha sinalização, após receber ameaças em seu telefone de desconhecidos. “A gente te achou, sabemos quem você é. Você vai pagar pelo que fez”, dizia a mensagem.

Ela ainda disse que existem câmeras na via que podem ter gravado o acidente, demonstrando que ela não estava em alta velocidade.

O acidente

O acidente aconteceu por volta das 22 horas, no cruzamento das ruas Macário Alves com a Antônio Alves da Silva, quando a ex-secretária que estava em Hyundai Tucson, da cor chumbo, atropelou o motociclista. Além da motorista, estavam uma criança no carro e um homem, que seria namorado da jornalista.

Logo após o acidente, ela fugiu do local e populares que presenciaram o acidente acionaram o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e a polícia. Segundo algumas testemunhas, a ex-secretária não conseguia ficar em pé devido ao seu estado de embriaguez.

Quando os policiais estavam no local, a ex-secretária voltou ao local do acidente e acabou recebendo voz de prisão. Ela se recusou a fazer teste do bafômetro. A polícia fez um termo de constatação de embriaguez.