O sumiço de um cartão de crédito de um dos envolvidos no tiroteio com a Polícia Militar, neste domingo (5), na Avenida Afonso Pena, em , seria o motivo para a confusão na boate com quatro pessoas. Um dos envolvidos no tiroteio fugiu do hospital.

Uma das mulheres que estavam no carro no momento do tiroteio contou em depoimento na que estava namorando um dos rapazes há dois meses e que no dia dos fatos encontrou com o namorado na boate, que estava na companhia de mais dois rapazes. Todos ficaram no local por um tempo e as mulheres saíram para comer um espetinho.

Pouco tempo depois, os rapazes foram expulsos da boate e um deles estava discutindo com um dos seguranças dizendo que não haviam devolvido o cartão de crédito dele. Neste momento, ele acabou dizendo que “isso não vai ficar assim”.

Todos saíram, mas momentos depois voltaram para a boate e novamente ocorreu uma briga entre os rapazes e o segurança da boate que teria dito a um dos homens: “Cancela e pede outro cartão”. 

Ainda no domingo, um dos envolvidos fugiu do hospital depois de ser socorrido por uma equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

Entenda o caso

A polícia informou que o grupo estava dentro da boate, quando os dois homens iniciaram uma confusão. Eles foram retirados do estabelecimento por seguranças, no entanto, na saída teriam ameaçado um dos seguranças dizendo: “Isso não vai ficar assim”. Depois disso, ainda teriam ameaçado voltar para “acertar as contas”.

Os dois homens e duas mulheres, que estavam com eles, deixaram o local em um veículo Ecosport, de cor branca, que de acordo com a Polícia Civil, pertence a um tio de uma das mulheres que ficou ferida durante a colisão.

Depois de deixarem o local, o grupo seguiu pela Avenida Afonso Pena, sentido shopping. Testemunhas teriam dito que os ocupantes do veículo efetuaram disparos de dentro do carro. Pouco depois, eles teriam retornado à procura do segurança.

Dois policiais militares que estavam no local foram solicitados e abordaram os ocupantes do veículo. Segundo informações do boletim de ocorrência, o condutor seguiu com o carro e o passageiro teria apontado uma arma ao passar pelos militares, que reagiram com disparos.

O motorista perdeu o controle da direção e bateu em um poste. Ela é uma das jovens que sofreram ferimentos leves. O passageiro, que teria apontado a arma para os militares, e uma das mulheres foram atingidos pelos disparos.

Conforme as informações, o condutor e as duas vítimas atingidas pelos tiros foram socorridas por equipe do Samu e levadas para o hospital, de onde o motorista fugiu.

A jovem, que teve ferimentos leves provocados pela colisão, recebeu atendimento médico e foi encaminhada para a Delegacia para prestar depoimento. À polícia ela disse que o carro pertence a um tio, que havia emprestado o veículo.

No carro foram encontradas uma pistola Glock com um carregador com munições calibre 9 milímetros, intactas, um carregador de pistola com prolongador com munições do mesmo calibre intactas, além de porções de maconha e cápsulas deflagradas.

A arma, o carregador, as munições e a foram apreendidas e encaminhadas para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento) Cepol, onde o caso foi registrado. Já o veículo foi apreendido e encaminhado para a 2ª Delegacia de Polícia de Campo Grande.

O caso, de acordo com o delegado plantonista, Felipe Madeira, deve ser investigado pela 1ª Delegacia de Polícia de Campo Grande.