Wilson Lourenço Martins Corrêa, de 62 anos, foi encontrado morto na manhã da última segunda-feira (23) com uma espécie de corda no pescoço dentro do quarto de sua casa, no Bairro Núcleo Habitacional Buriti, em Campo Grande. A suspeita é de que o homem tenha sido assassinado.

Imagens de câmeras de segurança, que estão circulando nas redes sociais, mostra um homem, que seria catador de latinhas e o principal suspeito de cometer o crime, segundo amigos e familiares da vítima.

À polícia, familiares contaram que estranharam que a vítima não havia acordado ainda e depois de um tempo foram verificar se Wilson continuava dormindo, quando o encontraram no quarto sem e com um cordão de roupão enrolado no pescoço e a outra parte amarrada no puxador da janela.

(Redes sociais)

A Perícia foi acionada e constatou que havia sinais e lesões de esganadura no pescoço.

Um casal contou aos policiais que na noite de domingo (22) tomaram cerveja com a vítima na frente da residência, quando por volta das 19h30 passou um catador de latinhas e perguntou se poderia levar as latinhas que estavam na calçada, tendo a vítima respondido que sim. 

Cerca de uma hora depois, o trio foi para uma conveniência que fica a 10 metros da casa da vítima, onde consumiram mais cerveja. Por volta das 21h30 o catador de latinhas passou em frente a conveniência e a vítima o chamou para beber.

Às 22h30, todos levantaram para ir embora, mas a vítima pegou mais cinco garrafas de cerveja e foi embora para sua casa na companhia do catador de latinhas. Um amigo chegou a ver os dois entrando na residência.

Uma testemunha contou que a vítima levava raramente desconhecidos para a residência.

O catador de latinhas tinha aparentemente 30 anos, 1,70 de altura, moreno, usava camiseta de cor vinho e bermuda preta com detalhes cinza.

Enquanto consumiam bebida alcoólica, o rapaz contou que morava no Bairro Tijuca e se apresentou com dois nomes, Alfredo e Alberto. O suspeito ainda havia pedido para que a vítima ligasse para sua mãe que mora em Cuiabá, mas a mãe não atendeu. 

O celular da vítima e perfumes, desapareceram da residência.

O caso foi registrado como homicídio simples e está sendo investigado.

Homenagens

Nas redes sociais, amigos e familiares expressaram o momento de dor pela perde de Wilson e a indignação como a morte ocorreu.

“Você hoje está livre como um pássaro, no céu, entre as nuvens, na eternidade. Como poderei falar de você, meu irmão mais velho, meu confidente, ao mesmo tempo, simples e complexo… Era da família e do mundo. Foi o homem que muitos machos deveriam ser”, escreveu Sebastião Martins.

“Quero lembrar de você sempre Alegre sorrindo, serelepe. Saudades Eternas”, publicou Ilzo Martins.

“Primo querido, estou em choque! Minha mãe está inconsolável, amava muito esse sobrinho. Que Deus te receba com amor”, comentou Marina Dessotti.

“Tremenda crueldade o que fizeram. Uma pessoa incrivelmente especial. Vai deixar muita saudade, mas deixou um legado lindo na terra: Bondade e Carisma. Por onde passou cativou cada um com seu enorme coração”, escreveu Thaicy Braga.

Saiba Mais