O jogador de futebol do Corumbaense, Luís Cláudio Oliveira, conhecido como ‘Chicago’, preso na noite de sábado (28), por policiais do Bope (Batalhão de Operações Especiais) e do Batalhão de Choque, na BR-262, com supermaconha em sua bagagem, ganhou a liberdade nesta segunda-feira (30).

Durante a audiência de custódia, o magistrado deferiu pela liberdade de ‘Chicago’ com o uso de tornozeleira eletrônica pelo prazo de 180 dias, como também o recolhimento domiciliar noturno, e nos fins de semana e feriados, com recolhimento das 20 horas até as 6 horas do dia seguinte. O jogador estava carregando 5 quilos e 300 da supermaconha em uma mala, de cor marrom. 

O jogador de futebol disse que trabalha na prefeitura de Corumbá e que recebe salário de R$ 2.500 e pelo transporte da supermaconha receberia o valor de R$ 3 mil. Ele não revelou para quem entregaria a droga, que foi avaliada em R$ 50 mil. 

A Polícia Civil pediu pela quebra do sigilo telefônico do jogador de futebol do Corumbaense.

Prisão do jogador

O ônibus que fazia o transporte dos jogadores para Campo Grande onde jogariam contra o São Gabriel foi parado pelos policiais, que ao fazerem a vistoria nas bagagens, a mala com a supermaconha foi localizada. A supermaconha foi avaliada em R$ 50 mil.

Quando questionado, o jogador de futebol contou que receberia o valor de R$ 3 mil para trazer a droga até Campo Grande. Ele não disse para quem a supermaconha seria entregue, e por isso, a polícia pediu pela quebra do sigilo telefônico.

O jogador recebeu voz de prisão e foi encaminhado para a delegacia. ‘Chicago’ estaria viajando com a equipe apenas para realizar exames cardíacos de rotina.