Conforme a enfermeira, ela estava no plantão quando foi atacada por uma paciente que supostamente teria problemas psiquiátricos. A profissional ressalta que ficou tão abalada que procurou a Delegacia para registrar o caso dois dias após o fato acontecer.

“Fiquei muito abalada e só consegui ir registrar o boletim de ocorrência dois dias depois. Pensei em pedir exoneração e voltar para minha cidade natal. Moro sozinha e foi muito difícil passar por difícil. É um sentimento de impotência, impotência e desamparo”, disse a enfermeira.

Uma técnica de de 25 anos destaca que a categoria sempre sofre agressões, não só físicas, mas verbais.  “A gente precisa ter segurança e suporte para trabalhar. Já teve colegas agredidos fisicamente, mas tem muita agressão verbal. Gostaríamos expressar nossa indignação e pedir mais respeito”, lamentou.

Saiba Mais