Polícia

Advogada de Jarvis Pavão e Marcelo Piloto sofre atentado a tiros na fronteira

A advogada Laura Casuso 54, foi atacada com ao menos 14 disparos no início da noite desta segunda-feira (12) no Bairro Maria Victoria na cidade de Pedro Juan Caballero na fronteira com Ponta Pora, cidade a 325 quilômetros de Campo Grande. Laura que é advogada dos traficantes Jarvis Pavão e Marcelo Piloto foi atingida e […]

Diego Alves Publicado em 12/11/2018, às 20h50 - Atualizado em 13/11/2018, às 08h06

None

A advogada Laura Casuso 54, foi atacada com ao menos 14 disparos no início da noite desta segunda-feira (12) no Bairro Maria Victoria na cidade de Pedro Juan Caballero na fronteira com Ponta Pora, cidade a 325 quilômetros de Campo Grande.Advogada de Jarvis Pavão e Marcelo Piloto sofre atentado a tiros na fronteira

Laura que é advogada dos traficantes Jarvis Pavão e Marcelo Piloto foi atingida e levada para atendimento em uma clínica particular da cidade.  De acordo com polícia, ela entrava em seu veículo, um veículo Land Rover blindado, para sair do bairro.

Segundo testemunhas, os autores chegaram em um veículo Toyota Hilux e realizaram os disparos contra a advogada que foi atingida por alguns dos tiros. De acordo com o site Porã News, o atentado pode estar ligado a atual guerra entre facções pelo controle da fronteira.

Agentes da Divisão de Homicídios e da Polícia Técnica realizaram os procedimentos de rigor a fim de encontrar evidências que possam identificar os autores do atentado.

Pavão e Marcelo Piloto

Pavão estava preso desde 2009 na penitenciária Tacumbu, em Assunção. Ele cumpria pena de oito anos por crimes de lavagem de dinheiro e porte ilegal de armas no Paraguai. No Brasil, ele irá cumprir pena de 17 anos e oito meses de reclusão a que foi condenado pelos crimes de tráfico internacional de drogas, associação para o tráfico e lavagem de dinheiro. Sua extradição foi solicitada pelo Juízo da Vara Criminal de Balneário Camboriú (SC), responsável pela condenação.

Já em relação a Marcelo Pìloto, a Justiça Paraguaia autorizou a extradição do traficante brasileiro apontado como maior fornecedor de armas e drogas para o Brasil.  Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto está preso no Paraguai desde dezembro de 2017.

O processo de extradição foi acelerado depois de a polícia paraguaia frustrar dois planos de resgate do brasileiro, que está preso em Assunção.

Jornal Midiamax