Polícia

Princípio de motim em Campo Grande e Dourados tem ligação, diz Sinsap/MS

Unidades passaram por vistoria da Agepen na manhã desta segunda-feira

Midiamax Publicado em 23/02/2015, às 16h49

None

Unidades passaram por vistoria da Agepen na manhã desta segunda-feira

Na manhã desta segunda-feira (23), não só o EPSM (Estabelecimento Penal de Segurança Máxima), localizado no Jardim Noroeste, na região leste de Campo Grande, passou por uma vistoria, mas também o PED (Presídio Estadual de Dourados), antigo PHAC (Harry Amorin Costa), em Dourados, a 225 quilômetros ao sul de Campo Grande.

O Sinsap/MS (Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária de Mato Grosso do Sul) acredita que os princípios de motim, que resultaram em um pente-fino realizado pela Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), com apoio da PM (Polícia Militar), estão ligados ou têm alguma co-ligação.

“Há uma série que vem ocorrendo nos últimos dias e conta com envolvimento de preso, morte e facção”, ressalta o presidente do sindicato, André Santiago, à equipe do Jornal Midiamax. Ele enumera diversos casos que mostram a fragilidade do sistema carcerário.

“Não é de hoje que o presídio não recupera ninguém, isso porque falta investimento. Os agentes penitenciários são os primeiros que estão na linha de frente disso tudo. E a nossa arma é apenas um apito e uma caneta”, conta.

Ele frisa que falta investimento de treinamento, equipamento de segurança e contratação por meio de concurso público de mais agentes. “Infelizmente tivemos a morte de um servidor em pleno trabalho e ninguém parece ver isso, será que precisa morrer outro para que alguma solução seja tomada”, questiona.

Santiago ressalta que os atentados que envolvem reeducandos começaram a ter mais ênfase em dezembro do ano passado. No fim de 2014, um veículo passou pelo presídio aberto de Dourados e diversos tiros foram disparados contra o local, no muro e no portão, ficaram as marcas do atentado; Em seguida, os presos que estavam em Três Lagoas promoveram uma rebelião; Houve a morte de um detento dentro do Presídio Semi-Aberto da Gameleira, região sudoeste de Campo Grande, quando ele estava saindo do local; No início do ano, uma agente penitenciária foi agredida dentro do Presídio Feminino Irmã Irma Zorzi, durante a liberação das detentas para o banho de sol; Houve um princípio de rebelião no estabelecimento de Jardim; Foi encontrado um túnel no presídio de Campo Grande; Ocorreu a morte de um agente penitenciário durante o plantão no Presídio de Regime Aberto e Casa de Albergado, na Vila Sobrinho, área oeste de Campo Grande; e nesta segunda-feira houve o princípio de motim nas unidades da Capital e Dourados.

Jornal Midiamax