Soldado que torturou e assassinou um cachorro é encontrado morto na Argentina

O militar estava desaparecido há dois dias
| 07/03/2022
- 14:32
Soldado que torturou e assassinou um cachorro é encontrado morto na Argentina
Foto: Reprodução

O suboficial, Martín Orellana foi encontrado morto na manhã do último domingo (6). Ele estava há dois dias após ser acusado de matar e torturar um cão de rua. Uma família que passeava no Parque Helios Eseverri, em Buenos Aires, na , localizou o corpo do homem e acionou a polícia local, motivo da morte está o sob investigação.

Martin, era suboficial e pertencia ao Esquadrão de Engenheiros Blindados, seu corpo foi encontrado enforcado, por uma família que passava no local, o agente estava respondendo por um ato criminal de maus-tratos a animais, após um vídeo, em que ele aparece espancando até a morte um cachorro de rua dentro do regimento de Olavarría, ter repercutido nas redes socias e causado revolta na população. Algumas organizações realizaram protestos e exigiram o afastamento do militar.

Segunto o portal infobae, jornal local, os familiares de Martins foram até a delegacia no sábado, para informar o desaparecimento do homem, foi emitido um alerta para “ encontrar seu paradeiro”. O corpo foi encontrado no domingo, policiais, funcionários da Polícia Científica e membros do Ministério Público responsável, estiveram presentes no local, enquanto um caso foi aberto por " investigação das causas da morte".

Em nota a A Guarnição Militar de Olavarría lamentou a morte do militar “As autoridades militares da Guarnição continuam colaborando com os processos judiciais iniciados dias atrás devido aos fatos de conhecimento público. O Exército acompanha os laços mais próximos do subtenente Orellana na dor e reza pelo seu descanso eterno” declara o texto.

Casos de maus-tratos na região

Ainda segundo o jornal da cidade, no final de dezembro, do ano passado, outro animal foi vítima de maus-tratos e chocou a população. Um macaco foi encontrado por policiais em uma festa, em Buenos Aires. Após entrarem no local, os agente encontraram pacotes de drogas fracionadas, “que podem ser cocaína ou cetamina e que já estão sendo analisadas”, segundo os pesquisadores o mamífero estava trancado dentro de um dos armários da propriedade, em condições de abandono.

Como a Infobae apurou, o animal chamado "Coco" está sob supervisão veterinária. Trata-se de um macaco carayá de pelo menos cinco anos que, segundo adiantamento do laudo médico, devido às condições em que vivia, apresentava atrofia muscular (tetraparesia) nas quatro patas, o que lhe causava grande dificuldade para andar e se alimentar. , porque os ponteiros da frente são reduzidos ao movimento. “Além disso, alguns dentes estão faltando, incluindo as duas presas que são essenciais para um macaco desse tipo devido ao tipo de comida que eles têm”, apontaram as observações.

Veja também

Animal teria ingerido grande quantidade do 'mel louco'

Últimas notícias