A cantora sul-mato-grossense Ana Castela se tornou alvo do Ministério Público Federal. De acordo com o portal IG, junto com Ludmilla, a boiadeira e a funkeira foram acionadas após realizarem filmagens em lugar irregular, durante o evento AgroPlay Verão 2.

Por conta disso, o MPF entrou com uma liminar pedindo o cachê dos artistas envolvidos no projeto, já que o imóvel de luxo escolhido como set foi construído irregularmente na Ponta do Sapê, Angra dos Reis, em uma Área de Proteção Ambiental.

Conforme o MPF, a medida em como objetivo “reparar os danos ambientais causados pela propriedade e pelo evento”. Além disso, o Ministério Público Federal também destacou a necessidade de “promover o debate público sobre governança e responsabilidade socioambiental (ESG) de artistas e produtores, na escolha dos locais para a realização de eventos”.

Na ação, o órgão pede a suspensão imediata da exploração comercial, como hospedagem, locação para eventos, gravações e publicidade.

A medida também determina o cancelamento da veiculação do conteúdo produzido durante o AgroPlay Verão e o repasse dos pagamentos realizados pelas apresentações no evento.

“A intenção é destinar esses valores a projetos de recuperação ambiental. Também requer a condenação dos artistas e produtores para que compartilhem informações sobre a importância do patrimônio ambiental protegido pela APA Tamoios em suas redes sociais”, explicou o MPF em nota enviada ao IG.

Além de Ana Castela e Ludmilla, o AgroPlay Verão 2 contou com a participação dos cantores Luan Pereira, Lucas Medeiros e a dupla Guilherme e Benuto.