‘gemidão do WhatsApp’, um arquivo de áudio feito com o objetivo de confundir e constranger quem ouve

Jornal Midiamax o especialista em e relações mediadas Bruno Figueiredo. “Mas, enquanto as pessoas não mudam os maus hábitos, o jeito é realmente se proteger. Por isso, fone de ouvido sempre”, conclui. Confira abaixo algumas dicas:

Fone de ouvido sempre

A utilização do acessório pode evitar o constrangimento de cair num “gemidão do zap” na hora da ceia. Mantenha-o com você e, caso não possua o dispositivo, tente ouvir as mensagens depois, com privacidade.

Aproxime o celular do ouvido

É mais uma opção para quem não aguenta esperar e quer ouvir o áudio assim que o recebe. A maioria das versões do , por exemplo, utiliza o sensor de aproximação da tela, que transporta a transmissão do áudio do viva-voz para a caixinha interna quando o celular está no ouvido.

Desconfie dos amigos ‘engraçadinhos’

No fundo, no fundo, a gente sabe quem são os amigos engraçadinhos que seriam capazes de enviar arquivos suspeitos. Mais um motivo para ouvir áudios e assistir a vídeos em privacidade.

Deixe para ouvir amanhã

Quem enviou mensagens de Feliz Natal não vai se importar se você deixar para ouvir e responder tudo na manhã seguinte — quando você não estiver rodeado de parentes. Na dúvida (e sem fones), deixe para conferir o carinho recebido no dia seguinte.

Saiba Mais