Em visita aos Estúdios Globo, o ator campo-grandense Diego Chaparro, de 34 anos, descobriu um segredinho da emissora nos bastidores da novela “Terra e Paixão”, ambientada em Mato Grosso do Sul. Na ocasião, um truque da produção do folhetim para fazer a cidade cenográfica parecer mesmo ser sul-mato-grossense veio à tona.

Em conversa com o Jornal Midiamax, o ator e dentista de Campo Grande revela o “segredo” descoberto. “Conheci a cidade cenográfica, que é muito bonita, muito legal. Eles colocam terra vermelha nas coisas para deixar mais ‘a cara’ do Mato Grosso do Sul mesmo. Sujam o meio-fio de terra vermelha pra dar essa sensação, porque no Rio de Janeiro é uma terra bem clarinha”, conta o artista.

A revelação de Diego só constata o que o telespectador mais atento já tem notado há algum tempo. É que, há meses, “Terra e Paixão” tem se virado nos 30 para representar a tão mencionada terra vermelha na trama, já que o solo dessa cor não ocorre no Rio de Janeiro, onde a TV Globo concentra as gravações.

Além de sujar os cantos com a terra avermelhada, a produção da trama colore o solo virtualmente com filtros e saturações diferenciadas dependendo da cena, principalmente quando a protagonista Aline (Bárbara Reis) aparece em sua plantação. Outro ponto muito evidente ocorre quando a mocinha pega punhados da terra para fazer juramentos – nessas cenas, é possível perceber que a terra vermelha é colocada em montes específicos só para ela apanhar.

Veja a diferença da coloração da terra em uma sequência recente:

O motivo e a importância da terra vermelha em Terra e Paixão

Aqueles que desconhecem os bastidores iniciais da novela das nove podem não entender porque a TV Globo tem se esforçado para fazer a terra de “Terra e Paixão” parecer vermelha. É que, inicialmente, a novela levaria justamente o nome de “Terra Vermelha”, mas, por questões de direitos autorais, a emissora não conseguiu veicular a trama sob tal título, optando então por criar “Terra e Paixão”.

De acordo com o autor Walcyr Carrasco, a história da novela das nove foi desenhada com base em suas lembranças de infância, de quando seu tio vivia em Dourados (MS). Carrasco diz que, após conhecer a terra vermelha da região, ainda criança, nunca mais esqueceu.

Por isso, ao desenvolver a trama, o dramaturgo queria destacar essa característica do solo, muito própria de Mato Grosso do Sul – tanto que intitulou seu folhetim de “Terra Vermelha”.

Veja uma cena do primeiro capítulo, gravada em fazenda de Mato Grosso do Sul, com terra vermelha de verdade:

Truques

Desse modo, o solo “colorido” é muito presente em “Terra e Paixão”, principalmente nas falas dos personagens. No entanto, após rodar as primeiras cenas em MS e depois concentrar todas as gravações no Rio de Janeiro, a TV Globo precisou encontrar saídas e “bolar” alguns truques para a terra nos sets de filmagem parecer dessa cor.

Assim, o canal logo arrumou um outro lugar para representar a plantação de Aline, mas, diferente da área que representou a propriedade da mocinha em MS, no Rio de Janeiro, o espaço escolhido como cenário não tem a terra vermelha, que é colorizada por meio de computação gráfica quando necessário.

Além disso, a terra vermelha precisa ser introduzida na cidade cenográfica para manter a proposta do autor e a representação de um município sul-mato-grossense na região especificada. Daí os cantinhos, rodapés, rodas de carro, para-brisas, e outros objetos dos cenários tingidos com amostras do solo avermelhado.

Mais sobre a terra vermelha

Esse tipo de solo é encontrado principalmente nos Estados do Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul. A terra dessa cor resulta de milhões de anos de decomposição de rochas basálticas, ricas em nutrientes como o ferro, responsável pela coloração avermelhada.

Conforme o Canal Rural, de acordo com o professor doutor Paulo Sérgio Pavinato, do departamento de Ciências do Solo da Escola Superior de Agronomia Luiz de Queiroz (Esalq), a terra vermelha, também conhecida como terra roxa, normalmente é utilizada para plantio de grãos como soja e milho, tal qual na novela “Terra e Paixão”.

Por sua grande fertilidade, as terras roxas são muito valorizadas, as mais caras do Brasil, podendo o valor do hectare variar de R$ 30 mil a R$ 40 mil.

Fale com o Midiamax

Tem alguma denúncia, flagrante, reclamação ou sugestão de pauta para o Jornal Midiamax? Envie direto para nossos jornalistas pelo WhatsApp (67) 99207-4330. Acima de tudo, o sigilo é garantido por lei.

Acompanhe nossas atualizações no Facebook, Instagram e Tiktok.