Trabalhadores que usam uniforme contam 'táticas' para lidar com os dias frios em Campo Grande

No dia mais frio do ano, em Campo Grande, trabalhadores que saem cedo de casa enfrentaram o frio e vento gelado
| 18/05/2022
- 11:01
trabalhadores enfrantam o frio em cg marcos ermínio (1)
Campo Grande registrou temperatura abaixo dos 10°C, nesta quarta-feira, 18 de maio. - Foto: Marcos Ermínio/Jornal Midiamax

No dia mais frio do ano, os trabalhadores que saíram cedo de casa deram de cara com o vento gelado ‘cortando’ o rosto e sensação térmica de aproximadamente 2°C, em Campo Grande. Além disso, quem obrigatoriamente usa o uniforme cria as suas táticas para se agasalhar e manter a peça de roupa aparecendo. 

trabalhadores enfrantam o frio em cg marcos ermínio (1)
Mototaxista colocou dois casacos e capa corta-vento. Foto: Marcos Ermínio/Jornal Midiamax

O mototaxista Adilson Andrade Carvalho, de 61 anos, conta que há mais de 20 anos encara frio e chuva e diz que o pior, sem dúvidas, é o frio. Hoje ele colocou dois casacos, capa corta-vento, touca, luva e uniforme por cima. “Já encarei muito frio e chuva nesta vida, mas o frio é o pior. Ontem, tive que entregar uma encomenda de Campo Grande para o interior e foi muito difícil. Sofrido”, diz o mototaxista. 

trabalhadores enfrantam o frio em cg marcos ermínio (1)
Lílian leva mochila para colocar e tirar casacos. Foto: Marcos Ermínio/Jornal Midiamax

A servente bandeirinha, Lilian Aparecida Clara da Silva, de 42 anos, usa a tática de se vestir em ‘camadas’. Ela detalha que para se aquecer, além de casaco, da luva e touca, anda com uma mochila nas costas, pois conforme vai esquentando ou esfriando, vai colocando ou tirando os casacos da mochila. “Eu faço isso e, desse jeito, não passo frio. A gente que fica na rua tem o vento, mas tem o sol para ajudar”, menciona Lilian. 

trabalhadores enfrantam o frio em cg marcos ermínio (1)
Vigilantes aproveitam o aquecimento do colete balístico. Foto: Marcos Ermínio/Jornal Midiamax

Já os vigilantes, no frio, aproveitam o colete balístico, que já é obrigatório, para se aquecer. Ronaldo Carvalho, de 44 anos, conta que precisou sair de casa às 5h20. Ele  colocou três blusas por baixo do uniforme. “No frio, o que ajuda a esquentar um pouco é o colete balístico e o coturno nos pés, que fazem parte do uniforme. É muito frio que a gente passa”, relata. 

Carvalho vai de carro para o trabalho, mas o colega Adriano Moraes, de 33 anos, foi de motocicleta e ainda deu azar o veículo apresentar problemas mecânicos na manhã desta quarta-feira, quando seguia para o trabalho. Ele, além dos casacos, usa uma balaclava para se proteger do vento. “Agora, não estou mais, mas senti até calor empurrando a moto. Como a gente trabalha o dia todo, tem que colocar o casaco embaixo do uniforme mesmo”, conta o vigilante.  

Quarta-feira gelada

Campo Grande amanheceu batendo recorde. Segundo informações do Climatempo, a Capital registrou mínima de 4°C por volta das 6 horas da manhã desta quarta-feira (18), menos que os 7°C registrados ontem (17). Em alguns bairros de Campo Grande, segundo o meteorologista Natálio Abrão, como no Jardim Aeroporto, a sensação térmica foi de 2°C.

Curitiba (PR), única capital que havia sido mais fria que Campo Grande nesta terça (17), registrou mínima de 6°C. Já (SP) registrou mínima de 7°C e Porto Alegre (RS), marcou mínima de 11°C.

Veja também

Confira o passo a passo de como fazer esse delicioso Bolo Pé de Moleque

Últimas notícias