O secretário estadual de Saúde, Antônio Lastória, apresentou a prestação de contas do Governo do Estado quanto aos investimentos de Saúde para a Assembleia Legislativa e informou que foram investidos R$ 190.608.866,27 no último quadrimestre. Apesar do alto montante e recentes investimentos, o Hospital Regional ainda atua acima da capacidade.

“Este dado é específico do Pronto Socorro. Aumentamos os leitos do hospital de 42 para 96 e mesmo assim sempre temos lotação por conta dos problemas sociais. Trânsito, álcool e drogas são situações que contribuem para diversas situações que são atendidas na emergência”, argumentou Lastória.

Para o secretário, o trânsito virou uma epidemia de Saúde Pública. “Vítimas de violência doméstica também são muitos pacientes no Pronto Socorro e só com outras ações externas ao hospital que iria diminuir a lotação”, justificou.

Outros dados apontados na prestação de contas realizada nesta terça-feira (27) foi que os maiores gastos são com a folha salarial, que representa 49,7% dos recursos, com R$ 94.793.866,91 em pagamentos.

Dentre as principais metas executadas, segundo o secretário, foram quanto ao diagnóstico precoce das patologias de gestantes, ampliação dos recursos para a atenção básica no interior, continuação de entrega de cesta básica para a comunidade indígena do Estado e investimentos na rede hospitalar.

Atualmente existem 48 hospitais em Mato Grosso do Sul considerados de pequeno porte, ou seja com menos de 50 leitos. Os acima desta capacidade contabilizam 18.

A prestação de contas cumpre a Lei Complementar nº 141 de 2012, que prevê que o Estado deve informar a Assembleia sobre os quadrimestres nos meses de maio, setembro e fevereiro de todo ano.

A Audiência foi presidida pelo deputado estadual e presidente da Comissão de Saúde da Casa de Leis, Lauro Davi (PROS), e contou com a presença das deputadas estaduais Mara Caseiro (PT do B ) e Dione Hashioka (PSDB) que também integram a Comissão de Saúde da ALMS.