A mídia estatal chinesa classificou nesta sexta-feira (11) o iPhone, da Apple, como uma ameaça à segurança nacional. Isso por causa da possibilidade de o smartphone registrar as localizações dos usuários com data e hora.

Uma reportagem da emissora “CCTV” criticou a função de “Serviço de Localização” por permitir que usuários sejam rastreados e que informações sobre eles sejam reveladas.

“Esses são dados extremamente sensíveis”, disse um pesquisador entrevistado pela emissora. Se os dados forem acessados, podem revelar a situação econômica de todo um país e “até mesmo segredos de Estado”, disse o pesquisador.

Contatada, a Apple ainda não comentou as acusações. A empresa tem ficado frequentemente sob os holofotes da mídia estatal chinesa, que acusa a companhia de fornecer dados de usuários para agências de inteligência dos Estados Unidos e pede “punições severas”. A companhia também tem sido criticada por atendimento de má qualidade aos consumidores.

A empresa sediada na Califórnia não é a única norte-americana a sofrer a ira da mídia chinesa. Os serviços do Google sofreram interrupções na China por mais de um mês, e o Centro de Compras do Governo Central proibiu que novos computadores do governo usem o sistema operacional Windows 8, da Microsoft.