Em meio a denúncias que atingem o Ministério do Turismo sobre favorecimento de ONGs, o ministro do Turismo, Pedro Novais, exonerou, na sexta-feira, os servidores de cargos em comissão Antônio dos Santos Júnior, Freda Azevedo Dias, Kátia Terezinha Patrício da Silva e Kérima Silva Carvalho. Os quatro servidores são investigados pela Polícia Federal na Operação Voucher.

Em ofício, o ministro Novais solicitou ainda à ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, a exoneração da diretora do Departamento de Qualificação, Certificação e Produção Associada ao Turismo do Ministério do Turismo, Francisca Regina Magalhães Cavalcante. A portaria com a exoneração dos servidores deverá ser publicada na próxima semana no Diário Oficial da União.

Neste sábado, novas informações atingem a pasta de Pedro Novais. Uma ONG especializada em assuntos rurais, o Instituto para a Preservação do Meio Ambiente e Promoção do Desenvolvimento Sustentável (Iatec), obteve um contrato de R$ 8 milhões do Ministério do Turismo para qualificar 18 mil cozinheiros, garçons e taxistas e outros profissionais do turismo no Nordeste este ano, seis meses depois de mudar o estatuto.

A ONG é dirigida pelo agrônomo Etélio de Carvalho, ex-secretário de Agricultura do governo João Alves, em Sergipe. O projeto foi aprovado em tempo recorde menos de sete horas após o início da análise da proposta. Segundo informaçõeso Iatec nunca executou serviço algum na área de turismo.

O negócio foi fechado em 30 de dezembro do ano passado. Mas o dinheiro começou a ser liberado este ano, já na gestão do ministro Pedro Novais. Até o momento, o Iatec já recebeu R$ 3 milhões. O parecer técnico, favorável à sua contratação foi assinado pela ex-diretora de Qualificação e Certificação Regina Cavalcante e pela ex-coordenadora-geral de Qualificação e Certificação Freda Azevedo Dias. O convênio foi assinado pelo ex-secretário-executivo Frederico Costa.