Com um início de jogo fulminante, o Vasco surpreendeu o Mineiro, neste sábado, e retornou à Série A do com uma grande vitória. O time carioca marcou dois gols em apenas nove minutos de jogo, conteve a pressão atleticana no Mineirão e venceu por 2 a 1, pela rodada de abertura do Brasileirão.

O goleiro Léo e o meia-atacante Gabriel Pec foram os grandes nome do Vasco e da partida, este com uma assistência e um gol. Pelo time mandante, o zagueiro Maurício Lemos descontou. Todos os gols foram marcados no agitado primeiro tempo disputado na capital mineira. O resultado acabou ofuscando a inauguração da Arena MRV, o novo estádio atleticano, em evento realizado pela manhã.

O último jogo deste sábado, que contou com sete partidas neste primeiro dia de Brasileirão, também foi marcado pelo critério mais rígido da arbitragem. Houve excesso de cartões e de acréscimos, seguindo as novas orientações da CBF. Neste aspecto, o Vasco foi quem mais sofreu. Perdeu o técnico Maurício Barbieri ainda no primeiro tempo. Ele foi excluído da partida por reclamação antes dos 40 minutos de jogo.

Sobre o castigado gramado do Mineirão, e Vasco fizeram um movimentado primeiro tempo, que se dividiu em dois momentos bem distintos. O primeiro contou com domínio total dos cariocas. A equipe vascaína iniciou a partida em alta velocidade, sem dar chance para o Atlético respirar.

A estratégia foi bem-sucedida. Aos 9 minutos, já vencia por 2 a 0. A contagem foi aberta aos 4, quando Gabriel Pec cobrou falta na área e Andrey Santos escorou de cabeça, quase dentro do gol. Cinco minutos depois, Lucas Piton arriscou de fora da área, mas pegou mal na bola, que sobrou para o mesmo Gabriel Pec. Ele bateu firme e anotou o segundo dos visitantes.

O Vasco criou oportunidades no ataque até para marcar mais, mas não sustentou a estratégia ofensiva por muito tempo. Aos poucos, recuou, cedeu campo ao Atlético e passou a jogar no contragolpe. Para tanto, contava com atuação inspirada do goleiro Léo Jardim, que fez ao menos três grandes defesas no primeiro tempo, a principal delas, aos 43, à queima-roupa, diante de Saravia.

O Atlético tentava de todas as formas: em triangulações, levantamentos na área e bola parada (Hulk arriscou em cobranças de longe, sem sucesso). Até que, aos 49 minutos, ele Hulk levantou na área e, depois de bate-rebate na área, o zagueiro Maurício Lemos aproveitou a sobra, encheu o pé e mandou para as redes.

O intervalo não arrefeceu o ímpeto do Atlético, que manteve no segundo tempo a alta intensidade da segunda metade da etapa inicial. O duelo seguia franco: os mineiros atacavam e os cariocas se defendiam. O time mandante, no entanto, não tinha a mesma efetividade do primeiro tempo e não criavam chances tão claras.

A partir dos 30, o Vasco esboçou nova investida no ataque. Porém, voltou a recuar rapidamente, deixando Pedro Raul isolado no ataque. A reta final do jogo exibia evidente queda técnica de ambos os lados. O Atlético gerava poucas oportunidades de gol, falhando ora na armação, ora na finalização, enquanto o Vasco tinha visível dificuldade em manter a posse de bola.

O placar inalterado ao longo de todo o segundo tempo acabou fazendo jus à queda do nível técnico em comparação à etapa inicial. Pelo Brasileirão, os dois times voltam a campo no próximo fim de semana. O Vasco receberá o Palmeiras, atual campeão, no domingo. O Atlético vai visitar o Santos no mesmo dia.