O aproveitou o fato de enfrentar os reservas do Fluminense para vencer por 2 a 0, neste sábado à noite, na Arena MRV, em Belo Horizonte (MG), pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. A vitória foi importante porque deixou o time mineiro, com 49 pontos e em sexto lugar, dentro do G-6, zona que garante vaga na próxima . Os dois gols foram marcados por Paulinho, artilheiro do novo estádio com seis gols em seis jogos e com 13 gols neste Brasileirão.

O time carioca segue com 45 pontos, em nono lugar, porém, focado na final da Copa Libertadores diante do Boca Juniors, no próximo sábado, no Maracanã. Priorizando a decisão, o técnico Fernando Diniz escalou o Fluminense com uma formação bem diferente do normal. Inclusive taticamente, confirmando a defesa com quatro jogadores, atrás e protegida por uma linha de cinco no meio-campo, com apenas John Kennedy no ataque.

De outro lado, Felipão montou o Atlético-MG mantendo a base dos últimos jogos, com quatro jogadores no meio-campo e com sua poderosa dupla ofensiva composta por Paulinho e Hulk.

Mas o jogo não agradou no primeiro tempo, apesar da grande movimentação dos jogadores. O Fluminense assustou num cruzamento de Guga que raspou a parte superior do travessão de Everson, aos 11 minutos. O Atlético-MG respondeu com um chute forte de Hulk, que acertou a trave. A jogada começou do lado esquerdo, numa roubada de bola de Rubens que fez o passe a Hulk. Ele driblou um marcador e soltou a bomba de pé direito, com a bola tocando na trave esquerda e passando nas costas do goleiro Fábio.

Na volta para o segundo tempo, Fernando Diniz fez uma alteração com a entrada do atacante Lelê no lugar do meia Léo Fernández. Mas o time mineiro manteve seu ritmo e abriu o placar aos 16 minutos, quando Hulk iniciou jogada pelo lado direito da área. Ele levantou na pequena área, onde Jemerson tentou de cabeça, a bola desviou no corpo de Guga e chutou para Paulinho. Ele ajeitou e bateu no canto esquerdo de Fábio.

Em seguida, Fernando Diniz passou deixar seu time mais agressivo Colocou o atacante Arias no lugar do volante Thiago Santos e ‘renovou o fôlego’ com Alexsander na vaga de Lima. Aos 26, quase que saiu o empate numa cabeçada de Lelê que passou do lado da trave.

Quem não faz, toma. O Atlético-MG ampliou o placar aos 37 minutos, de novo, com Paulinho. O lance começou num estourão para cima, com Zaracho ganhando a disputa no alto com André e passando para Paulinho. Ele invadiu a área e tocou por baixo na saída do goleiro Fábio.

O Fluminense ainda teve uma grande chance aos 39, em chute forte de John Kennedy e defendido por Everson com um tapa na bola. Na beira do campo, Diniz manteve sua postura de muita cobrança para seus jogadores. Naquela altura, seria muito difícil mudar o resultado.

Mesmo focado na final da Libertadores, o Fluminense tem jogo na próxima terça-feira, quando enfrenta o Bahia, em Salvador (BA), pela 31ª rodada. E deve ter, outra vez, um time reserva, inclusive, sem Fernando Diniz, que está suspenso com três cartões amarelos. O time deve ser dirigido pelo auxiliar Eduardo Barros.

O Atlético-MG entra em campo na quarta-feira, de novo em casa, diante do Fortaleza, que neste sábado perdeu o título da Copa Sul-Americana para o LDU.

Saiba Mais