Equipes da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos) e Defesa Civil continuam neste sábado (21) a força-tarefa para reparos em , após o temporal que causou destelhamento de casas, queda de árvore e danos na fiação elétrica.

Pelo município, oito locais passam por emergencial. As equipes estão equipadas com maquinários e caminhões para retirada de .

Estão na lista da Sisep:

  • Rua Nicomedes Vieira de Rezende
  • Avenida Primavera
  • Avenida Lúdio Martins Coelho
  • Rua Pio Rojas
  • Paço Municipal
  • Rua Senador Queiroz
  • Rua Amazonas
  • Rua Pernambuco

A Defesa Civil também atua em bairros da cidade. A listagem mostra trâmites em andamento, além de apoio à Energisa, Corpo de e prefeitura. Tiveram solicitação:

  • Rua Campos Sales – Belo Horizonte
  • Rua Santa Mônica – Santa Luzia
  • Rua Brigadeiro Machado – Taquarussu
  • Rua Giocondo – Giocondo Orsi
  • Rua Santa Rosa – Santa Luzia
  • Rua Pedro Alvares Cabral – Anahy
  • Rua – Anahy
  • Rua Maria Luza Moraes – Oliveira 1
  • Rua Pedro Alvares Cabral – Caiçara
  • Rua Alberto Sabin – Caiçara
  • Rua Otacilio de Souza – União
  • Rua Albert Sabin – Taveiropolis
  • Avenida Afonso Pena – Chácara Cachoeira
  • Rua 13 de Junho – Centro
  • Avenida Rachid Neder – São Francisco
  • Rua Brasil – Centro
  • Rua Jeribá – Chácara Cachoeira
  • Rua Presidente Dutra – Coronel Antonino
  • Rua Itaqui – Coronel Antonino
  • Rua Pio Rojas – Monte Castelo
  • Rua Jales – Monte Carlo
  • Rua – Santo Amaro
  • Rua José Antonio – Monte Castelo
  • Rua Abrão Julo Rahe – Rosa
  • Rua Desembargador Guy de Mesquita – São Francisco
  • Rua Gravata – Monte Castelo
  • Rua Estrela do Mar – São Lourenço
  • Rua Dom Aquino – Amambai
  • Rua Jurema – Vila Rica
  • Rua Itaqui – Cruzeiro
  • Rua Euclides da Cunha – Centro
  • Rua João Akamine – Santa Fé
  • Avenida Prefeito Heraclito José Diniz de Figueiredo – Gabura
  • Avenida Prefeito Lúdio Martins Coelho – Oliveira 1
  • Rua Tamoio – Leblon
Galhos em passarela (divulgação, Sisep)

Solicitações de atendimentos podem ser feitas pela plataforma Fala Campo Grande, no telefone 156. Também é possível baixar o aplicativo FalaCG.

Rastro de danos

Os ventos com mais de 80 km/h que atingiram Campo Grande, durante tempestade desta quinta-feira (19), causaram quedas de árvores e danificaram, inclusive, a sinalização semafórica. No total, foram 140 solicitações por quedas de árvores na Capital.

Conforme informou a prefeita Adriane Lopes (PP) durante coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (20), das 140 quedas de árvores, as equipes removeram 57 das ruas.

Segundo Adriane, as equipes da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) seguem realizando força-tarefa para solucionar os estragos. O foco principal é desobstruir as vias e retomar abastecimento de energia nos bairros.

Duas escolas municipais ficaram danificadas durante o temporal – sendo que uma servidora ficou com braço arranhado após telhado despencar -, houve destelhamento de casas de 70 famílias na Homex. Além disso, seis postos de saúde foram afetados e outras duas unidades da Secretaria de Assistência Social também registraram prejuízos.

“Vamos continuar com os trabalhos no fim de semana, na segunda-feira várias escolas que foram atingidas, que não foi grave, devem retomar as aulas”, informou a prefeita, ressaltando que, em alguns casos, os trabalhos já foram iniciados nesta sexta-feira (20).

No entanto, as equipes ainda estão percorrendo todas as regiões de Campo Grande e ainda não há uma estimativa do valor do prejuízo. “Ainda não temos um levantamento exato porque estamos percorrendo as regiões, enquanto o secretário de educação está em outra região para avaliar os danos. Em todas que passei as aulas serão retomadas segunda-feira se não chover”, detalhou Adriane.

Temporal e tornado ‘fake’ deixam rastro de destruição em Campo Grande

Muitas árvores caídas, semáforos desligados, fios elétricos partidos, tapumes e placas no meio de ruas. Esse foi o cenário caótico que a região central de Campo Grande ficou após um temporal acompanhado de fenômeno meteorológico chamado tromba d’água com rajadas de vento que chegaram a 80 km/h, segundo a Defesa Civil. O fenômeno se assemelha a um tornado, porém, são iguais somente no formato.