Com a nova onda de calor intenso, cidades de Mato Grosso do Sul estão listadas entre as mais quentes e secas do Brasil das últimas 24h. Na quarta-feira (4), regiões marcaram temperaturas acima de 40°C e umidade do ar crítica.

A previsão da meteorologia é que a onda de calor que castigou o sul-mato-grossense com temperaturas na casa dos 45°C no mês de setembro volte a elevar as temperaturas na primeira quinzena do mês de outubro.

Nesta quarta-feira (4), estações do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) indicam que Miranda alcançou máxima de 40,2°C, se classificando em 8º no ranking nacional. Também estão listados os municípios de Corumbá (40°C) e (39,8°C).

Já entre as cidades com menor umidade relativa do ar, Rio Brilhante pontuou índice crítico de 18%. O município ficou entre outras regiões do Nordeste, como Piauí e Ceará.

Enquanto as regiões pantaneiras pontuam calor, o aviso do Inmet indica chuvas concentradas na região sul do Estado, com expectativa de volume entre 30 e 60 milímetros por hora ou de 50 a 100 milímetros ao dia, acompanhada de fortes de 60 a 100 km/h.

Onda de calor pode matar

Manter a hidratação é a principal recomendação da (Organização Mundial da Saúde). A nutricionista Jackeline Stacy de Alcântara explica que nos períodos de altas temperaturas o corpo segue a natureza de tentar regular a temperatura, sendo assim, esse processo exige mais do metabolismo, que precisa eliminar mais água para o controle.

Países que enfrentaram intensa massa de calor semelhantes registraram mortes por hipertermia, como o México, Canadá e Estados Unidos. Portanto, profissionais da saúde indicam hábitos que podem amenizar o desconforto nesse período no Estado.

A alimentação influencia na maneira positiva ou negativa, a desregulação do hábito saudável acarreta episódios de má digestão, desidratação e sobrecarga renal.

“O ideal seria focar na hidratação, tomar bastante água e não vale o tereré, sucos de preferência da fruta, chás gelados, mas evitando os diuréticos, como o hibisco, chá-verde, cavalinha, etc., frutas com bastante teor de água também são ótimas, por exemplo, a melancia, melão, laranja e abacaxi. Aumentar o consumo de legumes e verduras é importante também porque são alimentos fontes de alguns minerais que perdemos com o excesso de transpiração, além de facilitar a digestão”.

A profissional também recomenda evitar os alimentos embutidos, industrializados com o teor alto em sódio, carboidratos, frituras e gorduras, pois tendem a atrapalhar a digestão. “A ideia em geral é focar em uma alimentação mais leve, para auxiliar aumento de energia, disposição e hidratação nesses dias de calor intenso”, reforça.

Saiba Mais